Tamanho do texto

Manifestantes pediam cancelamento do amistoso por considerarem partida uma afronta à Palestina, pois seria realizada em um território ocupado

Messi recebeu carta assinada por 70 crianças palestinas para que não jogasse partida entre Argentina e Israel
Divulgação
Messi recebeu carta assinada por 70 crianças palestinas para que não jogasse partida entre Argentina e Israel

O amistoso preparatório da Argentina para a Copa do Mundo , contra Israel, não vai mais acontecer. Marcado para este sábado, em Jerusalém, o jogo foi alvo de protestos pró-Palestina, em que os manifestantes pediam a não realização da partida.

Leia também: Willian exalta Tite e se vê no "melhor momento", mas evita cobrar titularidade

Segundo jornal "As", os jogadores da seleção argentina tiveram uma reunião com Claudio Tapia, presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA), e disseram não querer entrar em campo no amistoso. A justificativa seria o receio de confusões no jogo e no entorno do estádio. O pedido foi acatado pela associação.

Antes da reunião entre jogadores e entidade máxima do futebol argentino, o pedido de cancelamento da partida já havia sido feito pela Associação de Futebol da Palestina. A entidade considerou o jogo uma afronta ao país.

Leia também: Fora da Copa, Sané desabafa no Instagram: "Estou desapontado"

"O jogo é uma celebração ao 70ª aniversário da criação do Estado de Israel . Para nós, é inaceitável realizar esta partida em Jerusalém, que é um território ocupado e é triste ver que uma equipe, que conta com o carinho e apoio de tantos cidadãos palestinos e árabes, participar de uma violação ao direito internacional", afirmou Husni Abdel Wahed, embaixador da Palestina na Argentina, a uma rádio local.

Por conta do cancelamento da partida, o técnico Jorge Sampaoli vai pedir para que haja um novo confronto amistoso. A ideia é que o jogo ocorra em Barcelona, cidade em que a seleção se prepara a Copa. 

Pedido das crianças

O maior craque da seleção, Lionel Messi, recebeu até mesmo um apelo especial para que não jogasse a partida. Um grupo formado por 70 crianças palestinas enviou uma carta para o jogador com o pedido.

Leia também: Douglas Costa volta a treinar com a seleção, que continua sem Renato Augusto

"Não sabemos se já ouviu falar dela (a cidade), mas temos certeza que vai ouvir, porque segundo nos disseram, você vai jogar com seus companheiros em Malha, em um estádio construído sobre a nossa aldeia destruída", afirma a carta das crianças sobre o Estádio Teddy, na parte ocidental de Jerusalém, onde seria realizado o amistoso entre Argentina e Israel.

    Leia tudo sobre: Futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.