Tamanho do texto

Ex-meio-campista e campeão do mundo em 2006 segue de férias enquanto não inicia o curso para ser treinador

O ex-jogador italiano Andrea Pirlo disse, durante um evento beneficente em Alessandria, no norte da Itália, quais são seus favoritos entre os países que jogarão a Copa do Mundo da Rússia, que começa no dia 14 de junho: Brasil, Espanha e Alemanha.

Leia também: Carvajal se junta à Espanha para tratar lesão e tentar jogar Copa do Mundo

Após sua aposentadoria do futebol, Pirlo tem curtido um bom período de férias
Reprodução/Instagram
Após sua aposentadoria do futebol, Pirlo tem curtido um bom período de férias

No evento, Pirlo também aproveitou para elogiar a seleção italiana, que, apesar de não ter se classificado para o Mundial, disputa um amistoso contra a Arábia Saudita nesta segunda-feira. É o primeiro jogo sob o comando de Roberto Mancini e também marca o retorno de Balotelli.

"A seleção ficou com um treinador importante [Roberto Mancini], que parte do zero. Será uma seleção que seguramente terá grande entusiasmo, com pessoas novas e jovens", afirmou o ex-meio-campista, que é cotado para assumir um cargo na comissão técnica de Mancini.

Quando questionado sobre "um segundo Pirlo", o ex-jogador respondeu: "Douglas Costa (Brasil), que na Itália conhecíamos pouco e que reveremos no Mundial, demonstrou coisas boas. Sem me esquecer de Pjanic (Bósnia)".

Virar técnico?

Sobre a possibilidade de ser treinador em breve, Pirlo afirmou que precisa estudar e se preparar antes de qualquer coisa. "Só porque você foi um bom jogador, não quer dizer que você pode automaticamente fazer isso (virar técnico). Você tem que ter vontade de se provar novamente no campo. Precisa que a faísca se acenda dentro de você, e a minha não acendeu ainda", salientou.

"Não há um jeito certo ou errado de fazer as coisas. Tudo depende das oportunidades que aparecem. Se te chamarem imediatamente para ser técnico de um grande time, é difícil recusar. Mas, como eu disse, não tenho intenção de fazer isso agora. Depois de 25 anos no futebol, quero ficar em casa com a minha família. E vou manter a forma jogando golfe e tênis", completou.

Leia também: Tite escala dois times e jogador curinga no primeiro treino do Brasil em Londres

Carreira

O meia, que jogou como atacante no início, foi revelado pelo Brescia em 1995, onde jogou até 1998 e chamou a atenção da Inter de Milão. Firmou contrato até 2001, mas nesse meio tempo jogou pelo Reggina e pelo Brecia novamente por empréstimo. No dia 30 de junho de 2001, o grande salto em sua carreira.

Contratado pelo Milan, Pirlo logo mostrou sua excelente técnica com passes precisos e cobranças de falta impecáveis, além de uma grande tranquilidade dentro de campo. Na equipe Rossonera jogou por dez temporadas e conquistou diversos títulos: dois da Séria A, uma Copa da Itália, uma Supercopa Italiana, duas Liga dos Campeões, duas Supercopas Europeias e um Mundial de Clubes.

Depois de não ter seu contrato renovado, foi para outra grande equipe, a Juventus. Na Velha Senhora, ele virou peça-chave no esquema do técnico Antonio Conte e foi importante nas campanhas vitoriosas de quatro Italianos, duas Supercopas e uma Copa da Itália. Desde 2015 no New York City, Andrea diminuiu sua frequência em campo nesta temporada e jogou em 15 dos 32 jogos do clube.

Leia também: Na Suíça e no aguardo de recurso, Guerrero se mantém otimista: "Não trapaceei"

Pirlo também foi muito importante na seleção italiana. Ele jogou em todas as categorias de base e atuou pela principal de 2002 a 2015. Conquistou a Copa do Mundo de 2006, o Campeonato Europeu Sub-21 em 2000 e foi medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. Em 2007, foi eleito o quinto melhor jogador do mundo pela Fifa e em sete anos foi considerado o melhor cobrador de faltas do mundo.

    Leia tudo sobre: futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.