Tamanho do texto

Atacante peruano de 34 anos segue confiante sobre jogar a Copa do Mundo, mesmo após aumento de pena por doping: "Eu acredito na Justiça Suíça"

Na Suíça onde se encontrou com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, e onde aguarda seu recurso no Tribunal Federal do país para tentar jogar a Copa do Mundo , o atacante Paolo
Guerrero, do Peru , diz que ainda tem fé de que irá reverter a decisão do Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), que aumentou sua pena por doping às vésperas do Mundial.

Leia também: Saiba tudo sobre a seleção e o país Peru que jogará a Copa após 36 anos

Na Suíça e no aguardo de recurso para jogar a Copa, Guerrero se mantém otimista:
Reprodução/Twitter/FifaWorldCup
Na Suíça e no aguardo de recurso para jogar a Copa, Guerrero se mantém otimista: "Não trapaceei"

"Eu acredito na Justiça Suíça. É meu sonho de criança... Ser o capitão do Peru, levo isso na alma e no coração", desabafou Guerrero em entrevista à BBC nesta segunda-feira. "Não me tirem o sonho de jogar uma Copa do Mundo... Eu não trapaceei", pediu o peruano de 34 anos, principal jogador de sua seleção e que disputaria um Mundial pela primeira vez.

"Viemos porque tivemos uma reunião com o Sr. (Gianni) Infantino (presidente da Fifa). Eu acredito na justiça suíça e por isso que eu estou aqui, porque pode ser que em poucos
dias deixar a decisão. E se Deus quiser, poderei, então, integrar a seleção para participar da Copa do Mundo", acrescentou.

O atacante foi flagrado no antidoping em outubro de 2017, depois de uma partida entre Peru e Argentina pelas Eliminatórias Sul-Americanas. Em seu sangue, foi encontrado o
metabólito de cocaína benzoilecgonina e por isso ele foi suspenso, inicialmente, por seis meses pela Fifa. A Agência Mundial Antidoping (Wada), porém, pediu para o TAS ampliar
para dois anos, conseguindo 14 meses.

Leia também: Japonês vira alvo de torcedores ao ser confundido com corte que puniu Guerrero

Guerrero chegou a jogar alguns minutos com a camisa do Flamengo após cumprir seis meses de suspensão:

El capitán volvió a la cancha 💪🏽🙌🏼🇵🇪

Uma publicação compartilhada por Selección Peruana - FPF (@tufpfoficial) em

“Eu não entendo por que fui punido. Dificilmente alguém no Peru entende. Eu não enganei ninguém. Todo mundo sabe que em nenhum momento eu quis enganar. Doping é punido quando os jogadores ou atletas burlam. Foi reconhecido pela Fifa, a Wada e pelo TAS que eu não enganei. É um padrão que é me sendo aplicado. Estou tentando que o tribunal de justiça
perceba que no meu país o chá de coca é algo cultural", ponderou Guerrero.

Questionados sobre como esse metabólito entrou em seu corpo, Guerrero enfatiza: “Não sabemos (como ele entrou em meu organismo). Se supõe que foi um chá de coca. O que eu tomei antes de sair da Argentina foi um chá de anis. Tomei depois do almoço, por uma indisposição estomacal, eu sofro de gastrite e depois do almoço pedi ao médio um digestivo”,
afirmou o peruano, relembrando ainda do momento em que estava com familiares e amigos em um hotel.

"Pedimos bebidas, minha mãe tomou Coca-Cola, um amigo café, outro uma água. Eu e mais três amigos pedimos chá de anis, que veio numa jarra já preparada", falou. "Achamos que era
chá de anis, no primeiro eu pude ver que era mesmo, mas no segundo não consegui provar porque vinha preparado... não consegui mais saber".

O secretário-geral do TAS, Matthieu Reeb, informou, na última semana, que Paolo poderia cumprir a suspensão após a Copa do Mundo. Para isso acontecer, a Fifa e a Wada devem
aceitar, em comum acordo, que a sanção seja adiada e, só assim, o camisa 9 entrar em campo na Rússia.

Leia também: Maradona defende Guerrero na web: "Espero vê-lo jogando na Rússia"

Mucha confianza en ellos. ¡Vamos Perú! 🇵🇪💪🏽

Uma publicação compartilhada por Selección Peruana - FPF (@tufpfoficial) em

Seleção

Com Guerrero ou não, o Peru jogará a Copa 2018. Antes de enfrentar Austrália, Dinamarca e França, pela fase de grupos do Mundial, a equipe comandada pelo técnico Ricardo Gareca
enfrentará a Escócia, nesta terça, a Arábia Saudita, no dia 3 de junho, e a Suécia, dia 9 do mesmo mês, nos três últimos amistosos preparatórios.

Farfán se tornou a principal arma do Peru sem Guerrero

🏃‍♂🏋‍♂⚽💪 #WorldCup #Training

Uma publicação compartilhada por FIFA World Cup (@fifaworldcup) em


    Leia tudo sobre: futebol