Tamanho do texto

Durante entrevista coletiva, treinador Didier Deschamps confirmou que o jogador do Paris Saint-Germain pediu para não ficar na lista de suplentes

Didier Deschamps criticou atitude de Rabiot, mas preferiu não cravar que não voltaria a convocar o jogador do PSG
Wikimedia Commons
Didier Deschamps criticou atitude de Rabiot, mas preferiu não cravar que não voltaria a convocar o jogador do PSG

O meia Rabiot, do PSG, foi deixado de fora da lista final da França para a Copa do Mundo. Na entrevista coletiva do treinador Didier Deschamps , o comandante confirmou que o atleta pediu para não ser incluído na lista de suplentes.

Leia também: Belgas farão 10 minutos de silêncio pela ausência de Radja Nainggolan na Copa

"Não foi uma carta enviada à federação, foi um e-mail que veio para mim na segunda-feira, no final da tarde. Eu fiquei sabendo do conteúdo do e-mail, claro, que Rabiot assinou, então eu tentei ligar, enviei um SMS para ter certeza que era ele. Não sabemos né? Mas eu soube que foi ele que enviou. Ele não respondeu, mas eu tive a confirmação pelo meu responsável administrativo, que foi ele" afirmou o técnico da França.

Deschamps falou também sobre as medidas que tomou após receber o comunicado. "Eu adverti o presidente da federação e, para ser correto, também passei ao presidente do PSG, Nasser, porque é um jogador do PSG. Foi assim. Não foi um e-mail para federação. Veio para mim na caixa de e-mail", explicou.

Leia também: Pai de goleiro argentino fez críticas a Sampaoli antes da convocação do filho

Além disso, o treinador ainda criticou a postura do jogador. Deschamps mostrou insatisfação com a reação de Rabiot, que ainda tem 23 anos, considerando que ele cometeu um grande erro ao fazer este pedido.

"Eu fique surpreso, obviamente, mas eu posso entender a decepção, a imensa decepção, mas disso a tomar uma posição deste tipo. Nós estamos falando de um jovem jogador, que teve seu momento na seleção francesa. Ele excluiu ele mesmo. Eu espero que decisões como essa permitam que ele pense porque eu estou convencido que ele cometeu um erro enorme tomando esta posição. No alto nível não há espaço para este tipo de reação emocional, no alto nível temos que ser profissionais em todas as circunstâncias", disse Deschamps.

Leia também: Vai à Rússia? Confira as principais dicas para ver a Copa do Mundo de perto

Apesar das críticas, o treinador tentou evitar maiores polêmcias e não cravou que não voltaria a convocar Rabiot . "Eu nunca tomo posições radicais. Decidimos algo hoje e depois as cosias mudam. Ele errou e ponto. Eu argumentei o fato que ele não estará aqui de acordo do que aconteceu com a gente em campo. Eu não tinha nada a reclamar dele em relação ao comportamento ou algo neste sentido", finalizou o técnico da França .

    Leia tudo sobre: Futebol