Tamanho do texto

Mundiais já foram palco de reuniões em família para 58 jogadores; na Rússia, somente a defesa saudita conta com três jogadores de mesmo sobrenome

Famílias Dos Santos, Lukaku, Hazard e Kalinic terão mais de um representante na Copa do Mundo da Rússia
iG Arte
Famílias Dos Santos, Lukaku, Hazard e Kalinic terão mais de um representante na Copa do Mundo da Rússia

Mais de 700 jogadores de 32 seleções estarão na Rússia a partir do mês que vem para a disputa da Copa do Mundo, que terá início daqui a apenas 23 dias. E para alguns dos atletas convocados, a cor da camisa não será a única coisa em comum em relação a um ou até mais colegas de seleção.

Leia também: Jesus e outros debutantes na Copa do Mundo eram 'gente como a gente' há poucos anos

O laço de sangue une alguns dos jogadores que estarão na Copa do Mundo , e isso deve ocorrer em campo já na abertura do mundial, no jogo entre a anfitriã, Rússia, e a Arábia Saudita. Isso porque a defesa saudita conta com nada menos que três atletas da família Hawsawi: o titular e capitão Osama (Al-Hilal), e os também zagueiros Omar (Al-Nassr) e Motaz (Al-Ahli).

Os três jogadores são parentes distantes e nasceram na região entre as cidades de Meca e Jidá, no litoral da Arábia Saudita para o Mar Vermelho. O  trio integra a pré-lista de 28 atletas divulgada pelo técnico argentino Juan Antonio Pizzi, que poderá ainda evitar a reunião em família na Rússia caso decida cortar algum dos Hawsawis em sua convocação final.

Quem muito provavelmente terá encontros familiares em sua concentração será a seleção da Bélgica. Uma das maiores estrelas do time, o meio-campista Eden Hazard deve ter a companhia de seu irmão Thorgan (Borussia Mönchengladbach), que é dois anos mais jovem que o camisa 10 do Chelsea. Essa já poderia ser a segunda Copa dos irmãos juntos, mas Thorgan ficou apenas na lista de espera do então técnico Marc Wilmots no Mundial de 2014. Agora é esperar que o técnico Roberto Martinez não repita a dose e decida manter os dois Hazard na lista de 23 jogadores que vão à Rússia .

O elenco belga poderá contar ainda com outra dupla de irmãos: o centroavante do Manchester United Romelu Lukaku e o lateral-esquerdo Jordan Lukaku, que atua na Itália com a camisa da Lazio. Os dois irmãos estão na pré-lista com 28 nomes divulgada por Martinez, e o entrosamento entre eles já até mesmo produziu um gol em amistoso disputado em 2016 contra Portugal. Relembre abaixo:


Quem também está pré-convocado para a Copa são os irmãos Giovanni e Jonathan dos Santos, pelo México. Os dois meio-campistas atuam juntos nos Estados Unidos pelo Los Angeles Galaxy – a equipe de Zlatan Ibrahimović – e são presenças recorrentes na equipe do ex-técnico são-paulino Juan Carlos Osorio.

Outros parentes que podem se encontrar em solo russo são o goleiro Lovre Kalinic (KAA Gent) e o atacante Nikola Kalinic (Milan). Os dois são primos, cresceram muito próximos um do outro e estiveram nas categorias do clube croata Hajduk Split, mas nunca atuaram juntos. Um dos dois certamente estará na Copa, já que o técnico da Croácia Zlatko Dalic, os incluiu em sua pré-lista para o Mundial, que sofrerá apenas um corte até a data-limite de 4 de junho.


Famílias na Copa do Mundo

De acordo com a Fifa, 58 jogadores já estiveram junto aos seus irmãos durante a disputa de uma Copa do Mundo. Os mais famosos desse ról foram Bobby e Jack Charlton, que ajudaram a Inglaterra a ser campeã em 1966, e os holandeses Frank e Ronald de Boer, que disputaram juntos as Copas de 1994 e 1998.

A primeira vez que dois irmãos se enfrentaram num Mundial foi em 2010, na África do Sul, quando Jérôme e Kevin-Prince Boateng estiveram frente a frente no duelo entre Alemanha (defendida pelo zagueiro) e Gana (de Kevin-Prince). A partida terminou em 1 a 0 para os alemães. Coincidentemente, os irmãos Boateng voltaram a se enfrentar na Copa seguinte, no Brasil, quando o confronto terminou em empate por 2 a 2.

Na história da seleção brasileira, apenas uma família pode se orgulhar de ter colocado dois irmãos em Copas do Mundo – ainda assim, em edições distintas do torneio. Trata-se de Sócrates, que disputou os mundiais de 1982 e 1986, e Raí, que esteve no tetracampeonato em 1994.

As reuniões em família em plena Copa do Mundo também já foram protagonizadas por pais e filhos em cinco ocasiões. A primeira vez em que isso ocorreu foi em 1966, quando o técnico uruguaio Ondino Viera treinou seu filho Milton Viera. A cena foi se repetir mais de 30 anos depois, com os italianos Cesare e Paolo Maldini, em 1998. Pai e filho também estiveram em mundiais com a Croácia em 2006 (Zlatko e Niko Kranjcar), com a Eslováquia em 2010 (Vladimir e Vladimir Weiss), e com os Estados Unidos (Bob e Michael Bradley), também em 2010.

Leia também: Vai dar zebra? Entenda por que nenhuma das favoritas ganhará a Copa do Mundo



    Leia tudo sobre: futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.