Tamanho do texto

"Espero retornar com boas notícias", disse o atacante antes de embarcar para Zurique acompanhado do presidente da Federação Peruana de Futebol; sindicato mundial de atletas fez novo apelo à Fifa e Lima teve até passeata

Paolo Guerrero alega que substância flagrada em seu organismo é proveniente de chá de coca
Fotos Públicas
Paolo Guerrero alega que substância flagrada em seu organismo é proveniente de chá de coca

O atacante Paolo Guerrero desembarcou na madrugada desta segunda-feira (21) em Zurique, na Suíça, onde terá reunião com o presidente da Fifa, Gianni Infantino, para pedir a autorização da entidade máxima do futebol para participar da Copa do Mundo com a seleção do Peru.

O atleta, que teve suspensão por doping ampliada na semana passada pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) , viajou ao lado do presidente da Federação Peruana de Futebol (FPF), Edwin Oviedo. De acordo com o jornal peruano diário 'El Comercio', a reunião em torno do perdão a Paolo Guerrero será realizada nessa terça-feira (22) na sede da Fifa.

"Vou em busca de uma esperança, de uma oportunidade para que me seja liberado jogar o Mundial. É um sonho que sempre lutei para conseguir... E desta vez temos a oportunidade com o Peru, que, depois de 36 anos, vai à Copa. Espero eu poder estar com todo o grupo e espero voltar da Suíça com uma boa notícia", disse o atacante em vídeo gravado antes de embarcar, na noite desse domingo (20).

A nova cartada de Guerrero e da FPF é endossada por um ofício enviado ontem à Fifa pela Federação Internacional dos Jogadores Profissionais de Futebol (FIFPro) . Em nota, o sindicato mundial de atletas disse esperar que, ainda entre esta segunda e terça-feira, a Fifa atenda ao apelo para autorizar o capitão da seleção comandada pelo técnico Ricardo Gareca a estar em campo na Copa do Mundo.

Os apelos em torno da participação do atacante no Mundial mobilizaram uma multidão de torcedores peruanos nesse domingo. Milhares foram às ruas da capital peruana, Lima, em uma passeata que se encerrou no Estádio Nacional. O número de participantes do ato em defesa de Guerrero não foi estimado pelas autoridades locais, mas as páginas convocando a passeata no Facebook tiveram até 60 mil confirmações.

Leia também: Japonês vira alvo da fúria de torcedores ao ser confundido com tribunal que puniu Guerrero


O caso Paolo Guerrero

O atacante da seleção peruana foi flagrado com a substância benzoilecgonina, metabólico da cocaína, em seu organismo durante exame antidoping realizado após partida entre Peru e Argentina, realizada no dia 5 de outubro do ano passado, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O atleta e seus advogados alegam que a substância é proveniente de uma folha de coca utilizada para chá tomado em vários países da América do Sul.

O centroavante foi suspenso do futebol por um ano e começou a cumprir a sanção no dia 3 de novembro. Em dezembro, no entanto, o Tribunal de Apelação da Fifa decidiu reduzir a pena para seis meses e Guerrero pôde retornar aos gramados neste mês de maio.

O caminho para  Paolo Guerrero representar seu país no mundial da Rússia parecia livre, até que, nessa segunda-feira (14), o Tribunal Arbitral do Esporte decidiu ampliar a punição ao atacante para 14 meses.

Leia também: Paolo Guerrero se pronuncia após punição: "Estão me roubando a Copa do Mundo"

    Leia tudo sobre: futebol