Tamanho do texto

Diversas coincidências com outras Copas em que o Brasil sagrou-se campeão do Mundo podem animar os torcedores mais supersticiosos da seleção

Torcedores mais supersticiosos se apoiam em coincidências para aumentar confiança no título do Brasil na Copa de 2018
Mowa / Divulgação
Torcedores mais supersticiosos se apoiam em coincidências para aumentar confiança no título do Brasil na Copa de 2018

Muitas coisas podem levar uma seleção a conquistar o título da Copa do Mundo. Bons jogadores, um técnico experiente e apoio da torcida são alguns dos principais elementos atribuídos às equipes vencedoras. Há, no entanto, um terceiro fator considerado por boa parte das pessoas que acompanham o futebol no Brasil e no mundo: a superstição.

Leia também: Debutantes na Copa do Mundo eram 'gente como a gente' há poucos anos

Se você é do time dos que acreditam neste fator extracampo e torce para que o Brasil leve o hexacampeonato na Rússia, pode começar a se animar. Diversas coincidências com outras Copas indicam que a seleção canarinho pode voltar a levar a taça do Mundial em 2018. Confira:

1) Goleiro colorado jogando na Itália

De acordo com os jogos da seleção brasileira desde o início da era Tite, Alisson será o goleiro titular na Copa do Mundo . Em 1994, ano em que o Brasil sagrou-se tetracampeão Mundial, a meta era defendida por Taffarel, jogador formado na base do Internacional que atuava por um clube italiano, o Reggiana. Alisson, também criado nas categorias inferiores do Colorado, hoje é atleta da Roma, outro time da Itália.

2) Camisa 10 do PSG

Também em 1994, um dos convocados era Raí, que defendia o Paris Saint-German e vestia a camisa 10 do clube francês. Em 2002, ano do pentacampeonato, o 10 do PSG, Ronaldinho Gaúcho, também foi convocado. Neste ano, o jogador que veste a 10 de equipe francesa é Neymar, grande astro da seleção brasileira.

Leia também: Hart desabafa por não ter sido convocado pela Inglaterra: "Estou decepcionado"

3) Revezamento com a Itália

Desde a primeira participação da seleção italiana em Copas do Mundo, em 1934, a cada 12 anos a taça fica nas mãos do país europeu ou do Brasil. Em 2006, o título foi para a Itália. Em 2018, 12 anos depois, a esperança é de que seja a vez da seleção brasileira, já que os italianos ficaram fora da Copa.

4) Participação de Senegal

Em 2018, Senegal participará da Copa do Mundo pela segunda vez na história. A primeira e até agora única participação do país africano no maior torneio de futebol acontecem em 2002, ano em que o Brasil trouxe o último título para casa.

5) Holanda fora

Ao contrário de Senegal, a coincidência que envolve a Holanda é referente à não participação da Laranja Mecânica em Copas do Mundo. A terceira colocada da edição de 2014 foi mal nas eliminatórias e não conseguiu se classificar para o Mundial na Rússia. A última vez que isso havia acontecido também foi no ano do quinto título brasileiro. 

Leia também: Polêmica! Sorteio da Copa 98 foi manipulado para favorecer a França, diz Platini

6) Costa Rica no mesmo grupo

Também em 2002, a Costa Rica esteve no mesmo grupo do Brasil na primeira fase – algo que se repete neste ano. Esta mesma situação já havia acontecido em 1990, ano em que a seleção brasileira não conquistou o título, porém, 2002 e 2018 contam com uma peculiaridade extra. No ano do penta, a equipe costarriquenha era treinada por Alexandre Guimarães, que foi jogador do time de 1990. Agora, a seleção tem como técnico Óscar Ramirez, que também jogou o torneio daquele ano.

    Leia tudo sobre: Futebol

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.