Tamanho do texto

Jogadores da Lusa comemoraram vitória por 2 a 1 como um título, embora ainda haja possibilidades matemáticas de serem ultrapassados

A fanática e alegre torcida da Portuguesa foi a principal atração da festa armada no Canindé na noite desta sexta-feira, dentro e fora de campo. Com boa atuação de Ananias, que marcou duas vezes, a Lusa derrotou a Ponte Preta por 2 a 1 e deixou ainda mais encaminhado o título do Campeonato Brasileiro da Série B , que pode ser definido na próxima terça-feira, quando a equipe visita o Criciúma em Florianópolis. Antes disso, a torcida e os jogadores se uniram em uma comemoração ao acesso realizada no próprio estádio da Lusa.

Confira a classificação atualizada da Série B

Durante a partida, houve distribuição de brindes como bonés, chaveiros e camisetas estampadas com os dizeres "Orgulho de ser Série A". Enquanto isso, a torcida incentivava o time, que viu a Ponte Preta dominar as ações nos primeiros minutos de bola rolando, mas depois surpreendeu com duas jogadas de efeito e aniquilou a Macaca. A reação na segunda etapa não foi suficiente para igualar o placar.

Marcando logo aos 18 minutos, com Ananias , que repetiu a façanha seis minutos depois, a Lusa criou uma boa vantagem e teve eficiência em administrá-la na segunda etapa, apesar de não diminuir o ritmo intenso. Talvez por esse motivo, tenha se exposto demais e visto o placar ser diminuído por Lúcio Flávio .

Com a vitória sobre os principais rivais dessa edição da Série B, a Lusa mantém a campanha irretocável e alcança 70 pontos na classificação, 13 a mais que a Macaca, ainda na segunda colocação e próxima do acesso, mas desestinulada pelo resultado no Canindé. Invicta há 16 rodadas, a equipe paulistana pode conquistar o segundo de seus objetivos nesta reta final de Série B. Enquanto o acesso já foi conquistado e o título está na iminência de se tornar realidade, igualar a trajetória do Corinthians só será possível em caso de vitória nas últimas cinco rodadas.

Ananias e seus companheiros estão muito próximos de levantar o troféu da série B
AE
Ananias e seus companheiros estão muito próximos de levantar o troféu da série B

O jogo
Como em boa parte dos inícios de jogos da Portuguesa, a pressão inicial foi do adversário, que tentava não se intimidar com a força das arquibancadas e partir para cima da remendada defesa anfitriã. O ímpeto inicial da Macaca quase rendeu frutos aos oito minutos, quando o atacante Ricardo Jesus recebeu pela direita e bateu cruzado para grande defesa de Wéverton.

Os visitantes dominavam, mas do outro lado estava um time que tinha condições de reverter o quadro a qualquer momento. Quando Edno e Ananias começaram a acertar as tabelas além da linha do meio-de-campo, a própria marcação da Ponte se confundiu e deu espaço para que a Lusa pudesse abrir o placar e o torcedor soltar o grito da garganta. Antes de comemorar, no entanto, o grito foi de lamento aos 16 minutos, quando Marco Antônio cabeceou para a defesa de Julio César.

Com o Canindé elétrico, Ananias subiu no trio e fez a festa após um cruzamento de Edno pela esquerda, em mais uma jogada de linha de fundo. Entre os defensores da Ponte, o camisa 9 se antecipou e desferiu uma cabeceada certeira para o fundo das redes, abrindo o placar.

Detendo mais de 60% da posse de bola, a equipe paulistana começou a se impor com facilidade e marcou o segundo logo aos 24. Em cobrança de falta do eficiente Marco Antônio, a zaga da Macaca fez o corte parcial, mas a bola sobrou para Ananias, que pensou, pensou e concluiu de bico, sem que ninguém aparecesse para bloquear. O artilheiro da noite bateu rasteiro e aumentou a vantagem da Lusa.

Surpreendentemente tranquila, a Ponte Preta se reequilibrou, mas lançou mão de uma estratégia convencional e pouco leal na intenção de paralisar as jogadas criadas pelo adversário: faltas. Logo aos 33 minutos, o primeiro empurra-empurra tirou o foco do espetáculo. Josimar deu um carrinho no meio-campo para tirar a bola de Marcelo Cordeiro, mas usou força excessiva e o jogador ficou caído no chão. O cartão amarelo não evitou que se formasse um bolo, inclusive com a presença dos técnicos Jorginho e Gilson Kleina, que buscavam amenizar os problemas.

De volta ao jogo, a Ponte Preta não conseguiu criar mais oportunidades reais, exceção feita a um chute de Ricardinho pela direita espalmado por Wéverton. O curioso é que, momentos antes desse lance, Ananias teve a chance de anotar seu terceiro gol após assistência de Marcelo Cordeiro. Julio César evitou que o pior acontecesse para a Macaca.

No segundo tempo, a Portuguesa manteve o ritmo e, por esse motivo, deu espaço para as investidas da Ponte Preta que, logo aos 14 minutos, trocou o meio-campista Caio pelo atacante Lúcio Flávio e buscou o empate com muita gana. Com menos de cinco minutos dentro de campo, o eficiente reserva já deixou sua marca escorando de cabeça após cobrança de falta de João Paulo. A Ponte Preta diminuía o placar e mostrava estar inteira na partida.

Ao mesmo tempo em que o time campineiro ia para o ataque, o paulistano começava a errar passes e não conseguir organizar jogadas ofensivas de efetividade, a não ser com Edno que ficou sozinho à frente com a saída de Ananias para a entrada de Rai. Nesse momento, Kleina lançou mão do atacante Tiago Luís no lugar no lateral Patric, colocando o time ainda mais avançado.

A postura quase deu resultado aos 39, quando Ferron aproveitou um escanteio cobrado pela esquerda e cabeceou à esquerda do goleiro Wéverton, que torceu para que não entrasse, e aos 45, em jogada semelhante, mas desperdiçada por Josimar. Pressionando até o apito final, diante de uma Lusa acuada e uma torcida extasiada, a Macaca nada mais conseguiu além de baixar a cabeça e ouvir aos gritos de "É Campeão!" vindos da arquibancada.

FICHA TÉCNICA
PORTUGUESA 2 x 1 PONTE PRETA

Local : estádio do Canindé, em São Paulo (SP)
Data : 28 de outubro de 2011 (sexta-feira)
Horário : 20h30 (de Brasília)
Árbitro : Paulo César Oliveira (SP)
Assistentes : Danilo Ricardo Simon Manis e Marco de Andrade Motta Júnior (ambos de SP)
Cartões amarelos : Leandro Silva e Luís Ricardo (Portuguesa), Josimar, Ferron e Leandro Silva (Ponte Preta)
Público : 11.711 pagantes

GOLS : Portuguesa - Ananias, aos 18 e aos 24 minutos do primeiro tempo. Ponte Preta - Lúcio Flávio, aos 17 do segundo tempo.

PORTUGUESA : Wéverton; Luís Ricardo, Leandro Silva, Renato e Marcelo Cordeiro; Guilherme, Henrique (Jaime), Boquita (Junior Timbó); Marco Antônio e Ananias (Rai); Edno
Técnico : Jorginho

PONTE PRETA : Julio César; Patric (Tiago Luís), Leandro Silva, Ferron e João Paulo; João Paulo Silva, Josimar, Caio (Lúcio Flávio) e Renatinho; Ricardinho (Gerson) e Ricardo Jesus
Técnico : Gilson Kleina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.