Tamanho do texto

Atacante Leandro é exemplo de renovação antecipada para evitar perda de jogadores

Gilberto Silva foi contratado e assinou compromisso por 18 meses
AE
Gilberto Silva foi contratado e assinou compromisso por 18 meses
Anderson Polga, Paulo César Tinga e, claro, Ronaldinho Gaúcho. Seja por descuidos administrativos ou inabilidade em negociar, o Grêmio perdeu importantes revelações das categorias de base sem receber indenização nos últimos anos. O mesmo problema fez, desde a instituição da Lei Pelé, que acabou com o passe em 1998, o clube gaúcho montar um time a cada temporada.

Entre para a Torcida Virtual do Grêmio e convide seus amigos

Twitter do iG Grêmio: Notícias e comentários em tempo real

Isto parece ser passado. Embora esteja em junho de 2011 na disputa do Brasileirão, a direção do clube gaúcho pensa na temporada seguinte. E nenhum titular ou jogador recém-contratado precisará debater o seu futuro ao término do campeonato. O Grêmio, enfim, entrou na era dos contratos longos do futebol brasileiro.

Rodolfo e Escudero, ambos emprestados por Lokomotiv Moscou e Boca Juniors, respectivamente, são os únicos que não têm vínculos estendidos – têm de voltar aos seus clubes após 31 de dezembro. Situação bem diferente da virada do ano passado, na qual o Grêmio penou para renovar com Lúcio e André Lima e não teve o mesmo sucesso com Jonas e Fábio Santos.

"É impossível obter bons resultados quando se troca de time a cada seis meses", opinou o assessor de futebol César Cidade Dias.

Nesta lógica, Fábio Rochemback, Gabriel e Leandro foram chamados para negociar e tiveram os vínculos estendidos. Gilberto Silva, Marquinhos e Miralles, novos reforços, assinaram por período superiores a dois anos. Tudo com a força de pagamento de luvas e salários elevados – a folha mensal é de R$ 4,5 milhões.

Claro que há o risco de fazer um investimento e não ter o retorno esperado. É o caso de alguns jogadores, que estão sendo emprestados a outros clubes. Busatto foi para o ASA. Maylson, ao Sport. E Gilson defende as cores do América-MG. Todos têm igualmente contratos longos e, como não eram aproveitados, foram repassados.

Um prejuízo menor ao de ter de contratar um time por ano.