Tamanho do texto

Pouquíssimas pessoas se arriscaram a ir ao Estádio do Café. Exceção é família que veio de Rondônia

Vicente Seda
Bilheteria do Estádio do Café vazia por volta das 19h desta quinta
A chuva que castiga Londrina desde quarta-feira respingou também na festa que o Flamengo planejou para seu primeiro jogo do ano, contra o Londrina, no Estádio do Café . As dependências estão às moscas e, segundo um dos seguranças, menos de cem pessoas passaram para a área de entrada da torcida do time carioca até as 19h. Na entrada para cadeiras cativas e torcedores da equipe local, a cena era idêntica.

Porém, um grupo de torcedores que veio de carro de Rondônia não se importava com nada disso.

Cláudio Lima, de 37 anos, autônomo, veio com filhos, mulher e prima para Balneário Camboriú, litoral de Santa Catarina. Planejou a viagem justamente no período em que o Flamengo estaria em Londrina, estado do Paraná, para, enfim, poder ver pela primeira vez o seu time ao vivo. “Só viemos porque o Flamengo treinaria aqui. Vamos ver se a chuva para um pouco”.

O seu filho, Rafael, de 15 anos, sonha ser jogador e já treina em um clube local. “Estávamos em Florianópolis e viemos ver a partida. Sou fã do Ronaldinho. Estou treinando para ser jogador também um dia. Só vi o Flamengo pela televisão”, disse o garoto, endossado pela irmã, Rafaella. “Eu viria até se fosse de bicicleta para ver o meu time”.

Em meio aos flamenguistas, uma corintiana infiltrada fazia chantagem. A mãe das crianças, Ilana, professora de 36 anos, decretou: “Só torço para o Flamengo hoje se deixarem eu ficar até domingo para ver o meu Corinthians”, disse a moça que, quando indagada sobre seu jogador preferido, quase suspirou: “Adriano, o Imperador”.

Flamengo e Corinthians farão amistoso , também em Londrina, domingo.

Uma cena curiosa acontecia na área que divide a entrada das torcidas de Londrina e Flamengo. Uma cancha de bocha, parte do complexo municipal onde fica o Estádio do Café, estava repleta de senhores praticando um esporte que é tradição no clube da Gávea.

Alheios ao que acontecia por perto, não se animaram em encarar a chuva para ver a partida de futebol. Preferiram esperar para domingo, quando o Flamengo fará seu último amistoso em Londrina antes de partir para Sucre, na Bolívia, e depois Potosí, onde terá seu primeiro compromisso pela primeira fase da Libertadores, contra o Real Potosí, a mais de quatro mil metros de altitude.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.