Tamanho do texto

Atletas vestiriam camiseta em referência ao zagueiro, que foi formalmente acusado de racismo pela promotoria britânica

O Chelsea vetou uma manifestação que o elenco faria pelo zagueiro John Terry , que foi formalmente acusado de racismo pela promotoria britânica. A diretoria não autorizou os atletas a usar uma camiseta com palavras de apoio ao companheiro, de acordo com o jornal ‘The Sun’.

Leia mais: Treinador do Chelsea descarta venda do atacante Fernando Torres

Terry é acusado de ofender com palavras racistas o zagueiro Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers. Em caso semelhante, o uruguaio Luis Suárez, do Liverpool, foi acusado de ofender, Evra, do Manchester United. Os atletas da equipe de Suárez vestiram camisetas em apoio a ele.

Veja ainda: Após deixar o Chelsea, Anelka posa com camisa de seu time na China

A ideia de manifestar publicamente apoio a Terry foi discutida entre os jogadores do Chelsea e chegou a ser aprovada. A diretoria, informada das intenções do time, achou por bem evitar o gesto.

“Estamos cientes que a ideia foi discutida entre alguns jogadores e membros da comissão técnica”, disse ao ‘The Sun’ um porta-voz do clube. “O clube apoia John integralmente, mas não acha que o uso de uma camiseta seria a forma apropriada de manifestar esse suporte”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.