Tamanho do texto

Contando o meia, São Paulo já teve 19 argentinos em toda sua história, mas poucos fizeram tanto sucesso como Sastre e Poy

Marcelo Cañete foi apresentado nesta segunda-feira pelo São Paulo e se transformou no 19ª jogador argentino a vestir a camisa tricolor. Porém, dos muitos "hermanos" que já passaram pelo clube do Morumbi desde 1934, poucos fizeram sucesso. Na verdade, apenas dois são lembrados até hoje como grandes nomes da história: Sastre e Poy.

Cañete, o mais novo argentino do São Paulo
AE
Cañete, o mais novo argentino do São Paulo
Siga o iG São Paulo no Twitter

Antonio Sastre desembarcou no São Paulo em 1943, vindo do Independiente. Já com 32 anos de idade, o meia chegou sob olhares de desconfiança, já que muitos o consideravam em fim de carreira. Entretanto, o atleta foi fundamental nas campanhas dos títulos paulistas de 43, 45 e 46. Um jogo marcante na passagem do jogador pelo Brasil foi contra a Portuguesa Santista, quando marcou seis gols na goleada de 9 a 0, pelo estadual de 43.

Entre para a Torcida Virtual do São Paulo e convide seus amigos

Já o goleiro José Poy, contratado do Rosario Central em 1949, só foi se firmar como titular em 1950. A partir daí, o arqueiro teria uma carreira de 13 longos anos defendendo a meta são-paulina. Nesse período, ele se tornou o 3º atleta que mais vestiu a camisa do clube - 522 vezes -, atrás apenas de Rogério Ceni e Waldir Perez.

Como jogador, Poy conquistou três Campeonatos Paulistas, em 1949, 53 e 57. Foi um goleiro tão seguro que teve seu nome cotado para defender a seleção brasileira da Copa de 1954, mesmo sendo argentino. A imprensa pressionou, os dirigentes chegaram a consultá-lo sobre a eventual naturalização, mas a ideia acabou não dando certo. Poy ainda foi técnico do São Paulo diversas vezes de 63 a 83, tendo sido campeão paulista em 1975.

A década de 50 foi de muitos argentinos no São Paulo, mas nenhum com grande destaque. Talvez apenas o meia-atacante Gustavo Albella, que atuou em 80 partidas na equipe entre 52 e 54, e ganhou o apelido de "El Atômico", por sempre realizar jogadas inesperadas no setor ofensivo. Depois do atacante Prospitti, que deixou o clube em 1967, houve um hiato de 35 anos sem a contratação de jogadores da Argentina.

E os mais recentes não deixaram muitas saudades para a torcida são-paulina. Em 2002, o zagueiro Ameli jogou apenas 15 partidas, não se firmando na defesa da equipe, apesar de demonstrar muita raça sempre quando entrou em campo. Já em 2009, Adrian Gonzalez foi a aposta da vez, após excelente campanha no San Lorenzo. Assim como Ameli, ele não se adaptou ao futebol brasileiro e atuou em nove oportunidades. Em 2010, deixou o clube.

A bola agora está com Cañete, que tem a responsabilidade de seguir os passos de ídolos compatriotas como Poy e Sastre. E o meia de 21 anos de idade sabe da importância que é jogar no São Paulo. "É um clube conhecido mundialmente, um dos maiores da América, grandes jogadores. Estou muito feliz de jogar neste clube e dividir com esses companheiros essa camisa", disse.

Veja abaixo a lista de argentinos que já foram do São Paulo :

Nome Posição Proveniência Período Jogos
Ponzoníbio Meio-campista Estudiantes 1934-35 / 38-40  41
Castagno Atacante Desconhecida  1940  2
Juarez Zagueiro Santos  1940  19
Sastre Meio-campista Independiente  1943-46  128
Renganeschi Zagueiro Fluminense  1945-48  107
José Poy Goleiro Rosario Central  1949-63  522
Bóvio Atacante Palmeiras  1950-51  28
Hector Gonzalez Zagueiro Internacional  1950-51  4
Di Loreto Atacante Rosario Central  1952-53  0
Moreno Atacante Banfield  1952-53  38
Albella Meia-atacante Banfield  1952-54  80
Martino Atacante Nacional-URU  1953  5
Negri Meio-campista Juventus  1953-55  72
Beraza Meia-atacante Platense  1956-57  10
Bonelli Goleiro Comercial-SP  1956-57  52
Prospitti Atacante River Plate  1966-67  4
Ameli Zagueiro San Lorenzo  2002  15
Adrian Gonzalez Lateral-direito San Lorenzo  2009-10  9
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.