Tamanho do texto

Atacante santista mostra confiança apesar do momento ruim, mas se decepcionou com cabeceio errado

Borges voltou a passar em branco no Pacaembu
Gazeta Press
Borges voltou a passar em branco no Pacaembu
Acostumado a balançar as redes adversárias, o atacante Borges , do Santos , tem sofrido com a falta de gols em 2012. Até o momento, o centroavante marcou apenas duas vezes na temporada. Contra o Juan Aurich (Peru), na noite dessa quinta-feira , no Pacaembu, o camisa 9 desperdiçou boas chances para fazer um gol. Apesar disso, ele garantiu que tem procurado manter a tranquilidade, em virtude da fase diferente pela qual vem passando na carreira.

Leia também: Temporal e apagão atrapalham, mas Santos vence e assume liderança

"Na minha cabeça, não passa nada. Tenho procurado não me preocupar com isso. A cada ano que passa, você vai ficando mais maduro. O mais importante é deitar na cama e dormir bem, com a sensação de que estou fazendo um bom trabalho. Estou tranquilo", disse.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Artilheiro do Brasileirão no ano passado, com 23 gols, Borges admite que a fase na última temporada era muito boa, e que vai continuar trabalhando para "selar a paz" com as redes o mais rápido possível. "No ano passado a fase era espetacular, eu estava fazendo gols em todos os jogos praticamente. Agora, o momento é de trabalhar, com serenidade, pois sei que as coisas vão voltar a acontecer para mim naturalmente", comentou.

Confira ainda: Neymar reclama das faltas sofridas e diz que poderia estar no hospital

Mesmo com o tom de otimismo de suas declarações, Borges lamentou bastante a chance perdida aos 31minutos do segundo tempo, no duelo com os peruanos. O atacante cabeceou a bola para fora após um cruzamento milimétrico de Neymar .

"Quando o Neymar bateu na bola, e ela veio na minha direção, procurei cabecear com força. Infelizmente ela não entrou. Tirei muito (a bola do goleiro Penny). Talvez, se eu só tivesse encostado, com o efeito natural do desvio, ela entraria", analisou, destacando posteriormente a sua contribuição para a vitória santista sobre o Ciclón.

E mais: Santistas lamentam campo molhado, mas exaltam vitória e liderança

"Só acerta ou erra quem está ali para concluir as jogadas. O importante é que, além desse lance, eu marquei, roubei bola e dei assistência (para o segundo gol alvinegro, de Neymar ). Ajudei o grupo, dei minha contribuição. O mais importante é que o time venceu", concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.