Tamanho do texto

Renê Simões e Lulinha reclamam da atuação do árbitro no empate com o Flamengo

Após o empate em 3 a 3 com o Flamengo , no estádio Pituaçu, o Bahia saiu de campo reclamando do árbitro Cleber Welington Abade. A principal reclamação é sobre o lance em que Galhardo puxou a camisa e derrubou Ávine dentro da área. A jogada aconteceu quando o placar ainda marcava 1 a 0 para os anfitriões e foi ignorada pela arbitragem.

"Eu não gosto de falar de arbitragem, mas hoje não posso deixar passar. O pênalti no Ávine foi um lance claro. Depois disso, em uma saída de bola, estávamos puxando o contra-ataque, o Flamengo parou a jogada com falta, e o árbitro não deu cartão", disse o técnico Renê Simões.

O treinador, por outro lado, considerou justa a expulsão do volante Hélder , que levou o segundo amarelo por falta em Botinelli, aos 32 minutos da segunda etapa. Entretanto, Renê reclamou pelo fato de o mesmo critério não ter sido adotado com o adversário.

"Foi merecido (o cartão para Hélder). Mas não houve um equilíbrio. Do outro lado tiveram lances parecidos que o Abade nem falta marcou. O Bahia é uma equipe grande, bicampeã brasileira e precisa ser respeitada. Não sou de reclamar de arbitragem, mas vou cobrar sempre que não respeitarem o Bahia", completou o treinador.

O atacante Lulinha , que marcou seu primeiro gol com a camisa tricolor, foi outro que ficou descontente com a arbitragem de hoje. "Foi brincadeira o que o árbitro fez. Ele amarelou toda a nossa equipe, mas não dava um cartão para o Flamengo", declarou o jogador antes de comemorar o resultado. "Mas tudo bem, mesmo com um jogador a menos, conseguimos o empate e a equipe está de parabéns".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.