Tamanho do texto

Treinador da equipe de Salvador foi comandante de Alex e Caio, que marcaram no empate com o time carioca

O técnico Joel Santana não lamentou tanto os gols marcados pelo Botafogo no empate por 2 a 2 com seu Bahia, neste sábado à noite, em São Januário . Os atacantes Alex e Caio , autores dos tentos, eram pupilos do comandante nos tempos em que trabalhava em General Severiano.

"São dois jogadores promissores, aposto muito neles. Eles merecem porque são pessoas dignas, decentes e ainda vão ter muito êxito no Botafogo", disse o comandante do clube de Salvador, que ganhou o apelido de Papai Joel enquanto dirigia o Bota e ficou conhecido por tratar os jovens jogadores quase como filhos.

Caio, que começou a carreira no Volta Redonda, teve mais oportunidades com Joel Santana do que Alex, trazido do CFZ. Ambos estão com 21 anos e começaram jogando contra o Bahia porque Herrera estava suspenso e Loco Abreu está defendendo a seleção uruguaia.

Sobre o resultado, Joel não se alongou. O comandante acredita que o Bahia poderia ter obtido resultado melhor caso Hélder não fosse expulso pelo alagoano Francisco Carlos do Nascimento no final do primeiro tempo, mas preferiu não entrar em detalhes sobre a arbitragem.

"Jogar com o Botafogo aqui já é dificil. Se você fica com menos um ainda no primeiro tempo, é mais difícil ainda, mas não vou julgar a expulsão. Falar de arbitragem dá muita polêmica", acrescentou o treinador.

O volante Fahel, outro que teve passagem pela equipe carioca, não seguiu pelo mesmo caminho. Ele não gostou de ouvir que o empate obtido pelo clube nordestino foi heroico. "Foi heroico porque a arbitragem foi mal, caramba. Dando tudo para o Botafogo. Expulsou o Hélder no primeiro tempo e não foi nada. Nossa equipe foi valente", disparou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.