Tamanho do texto

"Agora é trabalhar e tomar vergonha na cara", disse o goleiro Giovanni, que estreou com falha no Ceará

O discurso dos jogadores do Atlético-MG , após a sexta partida seguida sem vitórias no Brasileiro parecia até ensaiado, e pouco mudou das derrotas anteriores. O time alvinegro perdeu por 3 a 0 para o Ceará , na terceira goleada em sequência sofrida pela equipe. Serginho pediu desculpas para a torcida, e assim como nos jogos anteriores voltou a falar em trabalhar para melhorar a situação do clube. "É chato, mas em um momento desses é até complicado falar", disse o volante.

Siga o iG Atlético-MG no Twitter e receba todas as informações do seu time

"Só com vontade mesmo para tirar o Atlético-MG dessa situação. Temos que ter vontade e raça. No meu ponto de vista, no início da partida foi isso que faltou. É difícil vir aqui e falar agora. Peço desculpas para o torcedor pelo momento que estamos passando, mas é nós mesmos que vamos tirar o Galo dessa situação", continuou Serginho.

Entre para a Torcida Virtual do Atlético-MG e convide seus amigos

Já o goleiro Giovanni , que fez sua estreia de forma oficial com a camisa do Atlético-MG, reconheceu a falha no primeiro gol do Ceará, colcando culpa na falta de ritmo de jogo. "É uma questão de ritmo de jogo. Minha última partida oficial foi em outubro. Essa bola é consequência de jogo. Só acontece com quem joga".

Assim como o capitão Réver já tinha dito em derrotas anteriores , Giovanni cobrou vergonha na cara para o Galo sair da situação ruim que se encontra na competição. "Infelizmente, uma estreia com derrota, que era tudo o que eu não queria", lamentou.

"Mas isso é o futebol, e nosso time estava muito distante um do outro, e mesmo cobrando uma aproximação maior o nosso time não produziu o que vinha produzindo. Com seis partidas sem vencer, agora é trabalhar e tomar vergonha na cara para tirar o Atlético-MG dessa situação", declarou.

*Com informações da Gazeta

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.