Tamanho do texto

Desde 2005, quando bateu o Figueirense, que o time mineiro não consegue vencer quatro seguidas na Série A

Flickr/Clube Atlético Mineiro
André (90) comemora o seu gol diante do Grêmio, a terceira vitória seguida do Atlético-MG
O ano não é de boas lembranças para o torcedor do Atlético-MG , mas foi em 2005 que o time conseguiu vencer quatro jogos seguidos da Série A pela última vez. Naquele ano o time mineiro terminou na 20ª colocação e foi rebaixado. Novamente lutando contra a degola , agora em situação bem menos desconfortável, o Atlético-MG tenta repetir o feito de seis anos atrás. Curiosamente, daquela sequência, o Figueirense , adversário deste sábado, é o único que está na primeira divisão. Juventude, Brasiliense e Ponte Preta estão divisões inferiores.

Veja também: Atlético-MG aumenta distância para o Z-4. Veja a classificação atualizada

O jogo contra o Figueirense em 2005 foi disputado numa quinta-feira à noite, às 20h30, também no Orlando Scarpelli, local da partida deste sábado. Então lanterna, o Atlético-MG venceu por 1 a 0, com gol do atacante Catanha, aos 17 minutos do primeiro tempo, de cabeça, depois de escanteio cobrado pelo lateral-direito George Lucas . O resultado tirou a equipe mineira da última colocação, colocando justamente o Figueirense, então dirigido por Adilson Batista .

Leia também: Sensação do Brasileiro, Figueirense não mostra força em Floripa

O goleiro do Atlético-MG naquela noite fria de Florianópolis era Bruno , que depois jogou pelo Flamengo . O arqueiro atleticano cometeu pênalti no atacante Adriano, aos oito minutos do segundo tempo, quando o time visitante estava com um jogador a menos, já que Fábio Baiano havia recebido o vermelho por cometer falta em Bilu. Bruno se redimiu e defendeu a cobrança de Michel Bastos , que jogou a Copa do Mundo de 2010 pela seleção brasileira.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

A vitória diante do Figueirense foi a segunda da série de quatro triunfos seguidos. O time comandado por Marco Aurélio havia vencido o Juventude na rodada anterior, a última do primeiro turno, por 2 a 1, no Mineirão. Depois venceu a Ponte Preta por 1 a 0, também em Belo Horizonte, e o Brasiliense, por 2 a 1, em Taguatinga.

Siga o Twitter do iG Atlético-MG e receba notícias do time em tempo real

Se em 2005 a sequência entre o final do primeiro turno e o início do segundo não foram suficientes para salvar o Atlético-MG, os jogadores estão cientes que o time ainda não está tranquilo com os três triunfos seguidos. Por isso, a meta é conseguir outra vitória e dar mais um passo para conquistar a permanência na Série A.

“É natural que, com as vitórias, o ambiente melhore e fique bom para trabalhar. A confiança melhora. Mas a gente sabe que ainda não tem nada definido no campeonato. O ambiente muda, fica melhor, mas ainda corremos o risco de rebaixamento e precisamos ficar atentos”, disse o atacante André , que vai ter Bernard como companheiro de ataque.

Quadra em 2006

No ano em que disputou a Série B, o Atlético-MG conseguiu a sequência de quatro vitórias por duas vezes. Primeiro entre as rodadas 28 e 31, quando bateu Guarani (4x1), Brasiliense (1x0), Santo André (2x1) e Avaí (4x1). Depois entre as rodadas 34 e 37, com vitórias sobre Paysandu (3x0), São Raminundo (4x0), Coritiba (3x2) e Ceará (1x0).

Confira a ficha técnica do jogo de 2005:

FIGUEIRENSE 0 X 1 ATLÉTICO-MG
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP
Data: 28 de agosto de 2005, quinta-feira
Horário: 20h30 (horário de Brasília)
Renda: R$ 68.625,00
Público: 6.400 pagantes
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Rogério Carlos Rolim (PR)
Cartões Amarelos: Paulo Sérgio, Bilu e Cléber (FIG); Zé Antônio, George Lucas e Bruno (CAM)
Cartão Vermelho: Fábio Baiano (CAM)

GOLS:
ATLÉTICO-MG: Catanha, aos 17 minutos do primeiro tempo

FIGUEIRENSE: Edson Bastos; Marquinhos Paraná, Cléber, Bebeto e Michel Bastos; Axel (Paulo Sérgio), Carlos Alberto (Sérgio Manoel), Bilu e Fernandes (Adriano); Edmundo e Alexandre.
Técnico: Adilson Batista.

ATLÉTICO-MG: Bruno; Leandro Castan, Cáceres e Lima; George Lucas (Henrique), Walker, Zé Antônio, Fábio Baiano e Rubens Cardoso; Marques e Catanha (Luiz Mário).
Técnico: Marco Aurélio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.