Tamanho do texto

Fábio Júnior joga no Al-Ahly, time visitante. Imagens mostram que torcedores do Al-Masry invadiam o campo a cada gol de sua equipe

O brasileiro Fábio Júnior do Santos, de 29 anos, participou do jogo que deixou ao menos 73 mortos nesta quarta-feira no Egito . Atacante do visitante Al-Ahly desde meados de 2011, ele inclusive marcou o único gol de sua equipe na derrota por 3 a 1, em Port Said, casa do Al-Masry. Foram os torcedores da equipe local que invadiram o gramado antes e até durante a partida, na comemoração dos gols de sua equipe, que virou a partida na etapa final. Não há informações oficiais se Júnior foi agredido, mas ele foi para o quartel para qual os atletas do Al-Ahly foram levados. Em entrevista ao "Sportv", José Carlos, pai do atleta, disse que não tem notícias.

A tragédia: Invasão de campo mata 73 e fere milhares no Egito

Veja abaixo vídeo com o gol de Fábio Jr (o primeiro),. e as invasões de campo nas comemorações:
null

Fábio Júnior começou a carreira no Campinense, da Paraíba, apesar de ser natual de Nossa Senhora da Glória, em Sergipe. Nunca parou em um clube por mais de uma temporada, tendo passagens por grandes clubes, como Flamengo (em 2005), Inter (em 2003) e Vasco (em 2006), e até algumas partidas pelo Real Madrid B, equipe de apoio do poderoso Real spanhol, em 2002 e 2003. Antes de defender o Al-Ahly estava no Naval, de Portugal.

Veja também : Massacre é um dos maiores da história do futebol

Durante a partida, os torcedores do Al-Nasry já invadiam o campo para comemorar os gols de sua equipe, que saiu perdendo e virou o jogo. Nas imagens é possível ver que após o segundo gol, alguns torcedores nem sequer voltam para a arquibancada e seguem assistindo à partida quase dentro do campo, depois de já ter pulado o alambrado.

“Durante o jogo, o público também entrou no campo. Cada vez que marcavam um gol, eles entravam no campo. A atmosfera era terrível”, afirmou o técnico do Al-Ahly, Manuel José, em entrevista à rede de televisão SIC, de Portugal. O treinador reclamou da ação dos policiais.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.