Tamanho do texto

Seleção local precisa vencer Costa Rica, às 21h45 desta segunda-feira, para se classificar às quartas de final

No início da Copa América , empolgado pela temporada impecável de Messi no Barcelona , o técnico da Argentina , Sergio Batista, disse que sua equipe ia se inspirar no gigante espanhol. Dois empates depois (com Bolívia e Colômbia ) e correndo o risco de viver um fiasco em casa, o treinador esqueceu a pretensão de tentar repetir o melhor time do mundo na atualidade.

Batista trocou quatro jogadores em relação a equipe que empatou com a Colômbia e mudou o esquema . Saíram Tevez , Banega , Cambiasso e Lavezzi . Gago , Dí Maria , Higuaín e Aguero são os novos titulares. A alteração mais importante, porém, a de posicionamento do principal jogador do time, o atual melhor do mundo.

“Messi jogará mais recuado, vindo do meio-campo”, afirmou Sérgio Batista. O técnico acredita que com a nova formação, o camisa 10 terá mais espaço. “Temos que cuidar dele. É o melhor do mundo e está conosco”, disse o treinador.

O esquema que será usado no jogo contra a Costa Rica, às 21h45 (de Brasília) desta segunda-feira, é semelhante ao que foi utilizado nas Olimpíadas de Pequim, em 2008. Na época, Batista era o comandante do time, que tinha Messi e Riquelme como principais estrelas.

Risco de fiasco
Com dois pontos, a Argentina precisa vencer para garantir a segunda colocação no grupo. O primeiro lugar já não é mais possível, já que a Colômbia soma 7 pontos após vencer a Bolívia neste domingo .

“A partir de agora teremos quatro finais. É assim que vemos a nossa situação”, disse Batista, negando que se sinta mais pressionado pelo risco de ser eliminado na primeira fase da Copa América disputada na Argentina.