Tamanho do texto

Meia do São Paulo reclamou muito do treinador por não ter entrado no jogo contra o Avaí, pela Copa do Brasil

[]A eliminação do São Paulo na Copa do Brasil diante do Avaí fez com que todos os jogadores do time paulista deixassem cabisbaixos o gramado da Ressacada. Mas o jogador mais experiente do time, o meia Rivaldo , também demonstrou total revolta com o técnico Paulo César Carpegiani por não ter entrado no jogo sequer no segundo tempo.

O São Paulo levou uma virada por 3 a 1 e disse adeus à sua primeira Copa do Brasil desde 2003.

“Hoje para mim foi uma humilhação [não ter entrado]. Eu não quero estar no São Paulo por causa do meu nome, quero estar aqui porque tenho condição de jogar. Com todo o respeito ao Henrique e ao Willian, mas eu tenho mais experiência, podia fazer um lançamento para alguém, o São Paulo fazia 3 a 2 e se classificava. Não estou dizendo que ia acontecer com certeza, mas tinha uma chance”, afirmou o veterano ainda no gramado.

Ao saber das declarações de Rivaldo, Carpegiani colocou em dúvida o caráter do meia .

Rivaldo disse que vai continuar “convivendo tranquilamente” com o treinador e evitou opinar sobre o futuro de Carpegiani no time, mas deixou claro que uma demissão, que está nas mãos da diretoria, não deve ser descartada. “A diretoria tem que analisar o trabalho dele. Ele tem bastante currículo, mas vida de treinador depende dessas decisões do presidente, da diretoria”, disse.

Apesar do discurso forte, uma possibilidade totalmente descartada por Rivaldo foi a de deixar o time por conta de ser pouco aproveitado pelo treinador, como fez recente o atacante Fernandão e deve fazer em breve o volante Cleber Santana.

“Pelo carinho da torcida, jamais vou deixar o São Paulo, vou ficar até dezembro e cumprir o meu contrato. Estou bem feliz, só não estou feliz por não estar jogando. Porque tenho capacidade, treino como qualquer outro jogador”, disse.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.