Tamanho do texto

Atacante avisa que, se preciso for, time saberá dar porrada para disputar a principal competição sul-americana

AE
Alecsandro fez o único gol do Vasco na derrota para o Nacional
A Copa Libertadores, principal competição do continente, tem como marca registrada a catimba. Por mais técnico que um time seja, se não prevalecer o espírito brigador, corre o risco de ser surpreendido. Na quarta, diante do Nacional, do Uruguai, em São Januário, o Vasco perdeu de 2 a 1.

Leia mais: Alecsandro lamenta a falta de atenção no começo do 2º tempo

O resultado alertou Alecsandro. Para o atacante, a postura em campo a partir de agora deve ser diferente. Se preciso for, porrada será uma ótima defesa.

Deixe o seu recado e comente esta notícia com outros torcedores

“Vou usar aqui um velho jargão: (o time) vai ter que brigar um pouquinho mais. Nesta competição, a qualidade só não compensa. vale o vigor físico também. Ontem, a gente viu jogadas desleais deles. Então, é preciso dar porrada também”, alertou Alecsandro, autor do único gol vascaíno na partida.

Confira ainda: Vasco joga mal e estreia na Libertadores com derrota em casa

O Vasco estreou pelo Grupo 5 e foi derrotado em casa. Alecsandro, por sua vez, não poupou o time de críticas. Apesar de catimba e determinação uruguaia, o atual campeão da Copa do Brasil esteve, na opinião do atacante, irreconhecível.

E mais: Cristóvão diz que não se sente pressionado após "saída" de Gomes

“Quando a gente não joga bem, não merece ganhar. Teve a ansiedade da primeira partida, ansiedade de alguns jogadores por ser a primeira Libertadores. Houve a questão também dos desfalques (Rômulo, Eder Luis e Fágner), e nossa composição tática acabou não funcionando. Futebol tem disso. Teve gente do nosso time que não costuma errar passes de dez metros e que ontem errou”, analisou o atacante.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.