Tamanho do texto

Dirigentes do clube e representantes do jogador e do Al Hilal tiveram reunião nesta terça e expectativa é por anúncio nesta quarta

Thiago Neves pode se juntar ao elenco nos próximos dias
Alexandre Vidal/Fla Imagem
Thiago Neves pode se juntar ao elenco nos próximos dias
A permanência de Thiago Neves , cuja demora na definição já foi motivo de farpas no fim de dezembro , é agora a esperança da diretoria de tirar o foco da crise que tomou conta do CT em Londrina na manhã desta terça-feira. O vice de finanças, Michel Levy, irritou o elenco ao chamar de “marqueteiros” os que cobraram publicamente direitos de imagem e luvas de contrato atrasados, o técnico Vanderlei Luxemburgo se colocou ao lado dos jogadores e afirmou que o dirigente “foi infeliz”, e agora a saída é anunciar a permanência do meia para acalmar os ânimos.

Levy, um representante do Al Hilal e o empresário de Thiago Neves, Léo Rabello, se reuniram na tarde desta terça-feira. O pagamento dos R$ 18 milhões em quatro parcelas está apalavrado, mas ainda se discutem detalhes para fechar o acordo, que a diretoria esperava anunciar nesta terça, mas que só deve acontecer nesta quarta.

Em meio às tratativas, surgem informações de que outro clube brasileiro, não revelado, também estaria no páreo. Porém, há otimismo na Gávea em relação ao sucesso da negociação. A falta de contratações já foi criticada por Luxemburgo em dezembro, em outra troca de farpas com Levy.

VEJA TAMBÉM: Léo Moura, do Flamengo, admite incômodo de atletas com atrasados

O otimismo não se repete em relação a Vágner Love . A única alternativa para a negociação dar certo é uma redução no valor do pedido dos russos do CSKA, o que depende agora apenas do poder de persuasão do jogador.

De acordo com integrantes da delegação do Flamengo, Luxemburgo tem dado sinais de preocupação com os problemas no início da temporada. Ele chegou a comentar como o atraso em pagamentos interfere no seu dia a dia.

“Gostaria que não tivesse faltando nada para os jogadores, essa coisa que sempre existiu no Flamengo. Acredito que com a Patrícia (Amorim, presidente) isso ainda vai acabar, sei que há um esforço da diretoria. Desconfortos como o de hoje (terça) não podem ficar acontecendo. Não quero meus jogadores chamados de marqueteiros, mercenários, por cobrarem seus direitos. Se tivéssemos contratado reforços e tudo estivesse em dia, a conversa seria outra”, disse o técnico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.