São Paulo e Palmeiras voltam a se encontrar após a decisão do Paulista
Cesar Greco / Palmeiras - 30.03.2022
São Paulo e Palmeiras voltam a se encontrar após a decisão do Paulista

Rafael Traci e Helton Nunes , árbitros que comandaram o polêmico VAR na partida entre Internacional e Botafogo no último domingo , foram retirados da escala de São Paulo x Palmeiras , que acontece nesta segunda-feira, às 20h. A decisão foi anunciada pela CBF nesta manhã, através de comunicado, afirmando que os dois profissionais estão "sob avaliação do seu desempenho técnico".

(Confira abaixo a galeria de fotos do Choque-Rei)


A dupla comandaria a cabine do árbitro de vídeo no jogo que acontece, no Morumbi, às 20h, como complemento da 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os substitutos para a partida serão Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral e Vitor Carmona Metestaine.

"A Comissão de Arbitragem comunicou, nesta segunda-feira (20), a alteração da designação de VAR e AVAR da partida entre São Paulo e Palmeiras, pela 13ª rodada do Brasileirão Assaí 2022. A alteração se dá em razão dos árbitros designados anteriormente, Rafael Traci e Helton Nunes, estarem sob avaliação do seu desempenho técnico. Como existe tempo hábil para nova designação, o VAR substituto será Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral e o AVAR será Vitor Carmona Metestaine", diz a nota oficial.

Série de equívocos
A decisão da CBF foi motivada pelas decisões equivocadas da arbitragem, comandada por Sávio Pereira Sampaio com o auxílio das imagens do VAR, na vitória de virada do Botafogo sobre o Internacional, por 3 a 2, no Beira-Rio.

Logo aos três minutos, aconteceu o erro mais grave da partida. Por sugestão do VAR, Savio reviu as imagens do momento em que Philipe Sampaio e Gatito travaram um chute de Alan Patrick. Ao rever o lance na cabine, marcou mão do zagueiro dentro da área, deu pênalti para o Inter (bem cobrado por Edenílson) e expulsou o jogador alvinegro. Porém, as imagens disponibilizadas pela CBF (as mesmas checadas pelo árbitro no monitor) não sugerem a irregularidade.

O erro provocou a ira de John Textor, dono da SAF do Botafogo, que foi ao Twitter desabafar: "Vergonhoso… Temos que limpar o futebol brasileiro. Savio Pereira Sampaio, você deve renunciar pelo bem do nosso jogo”.

Com os ânimos exaltados desde o início da partida, todas as intervenções do árbitro e do VAR só serviram para deixar o jogo ainda mais nervoso. Três gols (dois do Inter, por impedimento e toque de mão, e um do Botafogo, por impedimento) foram anulados corretamente com a ajuda do vídeo.

Porém, a demora nas decisões esquentou o clima e levou o jogo a intermináveis 116 minutos, no total, por causa dos acréscimos. O gol da vitória do Botafogo, por exemplo, saiu aos 55 minutos do segundo tempo. A comemoração alvinegra foi entendida como provocação. Ao apito final, os jogadores de ambos os times protagonizaram uma briga generalizada, e o Lucas Piazon teve o ombro deslocado.

Após o jogo, apesar da vitória, o Botafogo publicou uma nota condenando a atuação desastrosa da arbitragem. Nesta segunda-feira, o clube vai apresentar uma representação junto à CBF.

“Inacreditável, vergonhosa e absurda a atuação da arbitragem no Beira-Rio. Tornou a competitividade do jogo desleal com apenas 3 minutos. Pior: com auxílio de imagens. Isto não é futebol. É escandaloso e caso de investigação. Apenas não deixamos o campo pois o Botafogo respeita as regras do jogo. Exigimos, no entanto, o mesmo respeito de quem diz zelar pelas regras. Temos um time honrado que, apesar de tudo, foi valente e buscou o resultado”, diz a nota.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários