Breno Lopes comemora com Zé Rafael após marcar o gol de empate contra a Juazeirense
Foto: Cesar Greco / Palmeiras - 30.04.2022
Breno Lopes comemora com Zé Rafael após marcar o gol de empate contra a Juazeirense

Que o Palmeiras é uma das equipes mais fortes do futebol brasileiro, ninguém duvida. Mas o Verdão conheceu de perto a Juazeirense, responsável por algumas das maiores zebras recentes, e precisou suar mais do que o normal para vencer, de virada, o adversário baiano por 2 a 1 em sua estreia na edição deste ano da Copa do Brasil, no duelo de ida da terceira fase da competição, na Arena Barueri.

Veja abaixo galeria de fotos do jogo:


Em uma noite de frio e chuva na Grande São Paulo, o Verdão não conseguiu encaixar o seu jogo em uma partida muito truncada e de poucas chances reais de gols.

A encomenda alviverde, contudo, poderia sair mais cara que o esperado. A Juazeirense, que neste ano já despachou o Vasco no maior mata-mata do país, abriu o placar logo aos quatro minutos em uma jogada de contra ataque concluída pelo ídolo local Nildo Petrolina. Breno Lopes empatou pouco depois.

E a virada só veio na etapa final, com Gustavo Scarpa, em chute de fora da área, quando Abel Ferreira colocou em campo titulares que estavam sendo poupados pelo treinador em rodízio promovido para não desgastar o grupo nesse momento crucial de acúmulo de jogos na temporada.

Palmeiras e Juazeirense voltarão a se enfrentar pelo jogo de volta no dia 11, às 19h (de Brasília). Antes disso, o Verdão joga nesta terça-feira (3) ante o Independiente Petrolero, às 21h30 (de Brasília), na altitude de Sucre, na Bolívia, pela Copa Libertadores. O time baiano joga na quarta (4), às 20h (de Brasília), contra o Santa Cruz, pela Série D, em casa.

O JOGO
Para quem esperava facilidade, afinal trata-se do bicampeão consecutivo da Copa Libertadores diante de um time da Série D, a Juazeirense lembrou o Palmeiras porque ficou marcada por eliminar Cruzeiro e Vasco e endurecer as coisas para o Santos na Copa do Brasil.

Logo aos quatro minutos, após sequências de escanteios para o Verdão, os baianos abriram o placar em Barueri. Nildo Petrolina, um dos destaques dos visitantes, arrancou em contra-ataque e chutou duas vezes para abrir o placar. Na primeira, Lomba defendeu. No rebote, ele guardou.

Leia Também

A sombra da zebra ameaçava aparecer, quando, aos 12, o Palmeiras conseguiu o empate. Rafael Navarro fez ótima jogada, se livrou de três marcadores em uma arrancada e deixou Breno Lopes livre, leve e solto dentro da área para marcar.

Golaço, empate, maior posse de bola e... nada. Para quem esperava um Verdão se impondo, vale lembrar a máxima sempre dita por Abel Ferreira, de que possuir mais controle de bola que o adversário sem criar chances não reflete em nada dentro de campo.

Foi exatamente o que aconteceu. O Palmeiras não conseguiu encontrar os espaços para levar perigo à Juazeirense, muito bem postada dentro de campo e que ditou o ritmo truncado do duelo.

Chances reais, mesmo, só no final. Aos 39, Dudu apareceu livre pela esquerda e viu a defesa desviar seu chute. Quatro minutos depois, o milagre baiano. o camisa 7 cruzou na medida para Navarro finalizar da pequena área, mas Calaça conseguiu defender o que seria um gol certo do Alviverde.

SEGUNDO TEMPO
Na volta do intervalo, o tempo passou sem que o Palmeiras conseguisse encaixar seu jogo. Dudu até tentou. Aos 12, tentou encontrar Raphael Veiga dentro da área, mas a zaga cortou.

Foi a deixa para Abel mudar as coisas. Três atletas com nível de titular entraram em campo, entre eles Rony e Gustavo Scarpa. Um tudo ou nada do lusitano para buscar furar o ferrolho baiano.

Deu certo. Aos 25, Scarpa recebeu um passe na entrada da área e, livre, conseguiu driblar o marcador, puxar para o meio e arriscar o chute de longe. A bola bateu no travessão e entrou, sacramentando a virada.

A Juazeirense chegou a responder rápido, aos 27, em cobrança de falta de Clébson defendida por Marcelo Lomba. Mas para os baianos a derrota pelo placar mínimo era o suficiente e o treinador Barbozinha retrancou ainda mais as coisas.

Aos 42 o Verdão ainda teve outra ótima chance com Scarpa. Mayke fez boa jogada pela direita e rolou para o meia, que finalizou com o goleiro Calaça batido, mas a zaga conseguiu desviar a bola e evitar o terceiro. Foi o suficiente para selar as coisas em Barueri.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários