Romário
Divulgação
Romário


O senador Romário ameaçou em suas redes sociais pedir a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a CBF caso Ricardo Teixeira, Marco Polo Del Nero ou Gustavo Feijó cheguem à presidência da instituição. O ex-atacante também disse entender que este "não é o momento" para ocupar o Senado com esta pauta mas que não vê outra alternativa.

(Veja abaixo galeria de fotos de Romário)


- Se a CBF voltar a ser presidida por Del Nero ou Ricardo Teixeira, ambos banidos do futebol pela Fifa, ou Gustavo Feijó, um cara cheio de escândalos na vida pública e privada, eu vou iniciar a coleta de assinaturas e falar com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, para abrir uma nova CPI, agora, especificamente sobre a CBF - escreveu o senador em suas redes sociais.

- O futebol brasileiro não merece mais essa sacanagem e desrespeito. Eu entendo perfeitamente que este não é o momento, principalmente pelo que estamos vivendo aqui: crise sanitária e econômica (por causa da pandemia do Covid 19). Contudo, não vou aceitar. Sei que irei tomar algumas porradas, mas não vou aceitar. Eu estou alertando para que não aconteça - acrescentou Romário.

Em seu Twitter, o tetracampeão mundial foi mais fundo nos motivos para sua indignação. Romário explicou que na "CPI do Futebol", os três nomes foram apontados em esquemas de corrupção e outros crimes.

- Há suspeitas de falsificação de documentos e informações contratuais de jogadores em diversas transferências. Após constarem no relatório paralelo que apresentamos na CPI, Investigações estão em curso por parte da Polícia Civil do Rio de Janeiro para apurar esses casos - escreveu o ex-atacante.

O senador concluiu ressaltando que o procedimento deve ocorrer sem interferência política e que, caso Teixeira, Del Nero ou Feijó cheguem à presidência da CBF, as federações estaduais também devem ser investigadas.

Veja abaixo as publicações originais de Romário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários