Zema
Reprodução: iG Minas Gerais
Zema

O governo de Minas confirmou oficialmente, em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira pelo governador Romeu Zema, que o futebol de outros Estados, incluindo o de São Paulo, estão proibidos nos limites mineiros.

Em coletiva, o governador anunciou que todo o estado entra na onda roxa a partir de quarta-feira. Sendo assim, até o momento, a partida do Paulistão entre Palmeiras e São Bento, prevista para o mesmo dia, às 19 horas, no estádio Independência, em Belo Horizonte, não está mais confirmada e pode não acontecer.

Minas Gerais tem diversos jogos de outros estados marcados para cidades nos próximos dias. Hoje, ainda fora do início das restrições acontecem duas partidas da Copa do Brasil Sub-20 entre Trem-AP x Avaí, às 15h, e Real Ariquemes-RO x Náutico, às 20h30, ambas no Sesc Venda Nova, em BH. Na quarta-feira, além do Palmeiras, estava marcado no estádio Dilzon Melo, às 15h30, em Varginha, a partida entre Marília e Criciúma, pela primeira fase da Copa do Brasil. 

"A onda roxa é obrigatória. Todo município precisa, sim, aderir à recomendação. Dessa forma, o futebol não poderá funcionar, pela obviedade do momento e de hotéis não poderem funcionar", afirmou o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti.

Com a decisão, a alternativa encontrada pela Federação Paulista de Futebol para seguir com o Paulistão, que foi paralisado por conta das medidas de restrição adotadas pelo governador João Doria, terá que ser revista. Os eventos esportivos estão vetados em São Paulo até o dia 30, medida que faz parte do pacote de ações mais restritivas que busca controlar a quantidade de casos da Covid-19. 

"Seria muito incoerente a gente tomar uma medida tão dura, tão restritiva como essa que estamos tomando no Estado e permitir e permitir que jogos de outros Estados acontecessem aqui em Minas Gerais, lembrando que, na onda roxa, os hotéis não podem receber turistas. Fica inviável o recebimento de jogos de outros Estados na onda roxa. Por definição, ela não vai permitir essa circulação. Na circulação entre Estados, as barreiras sanitárias vão abordar se estão indo para serviços essenciais ou não", ressaltou Fábio Baccheretti.

Sobre o Campeonato Mineiro, o secretário ainda não cravou uma definição e uma reunião será realizada para definir o que fazer. "Sobre os jogos. Nós realmente consideramos incoerente a manutenção de qualquer tipo de jogo. Iremos discutir com as federações para achar alguma conclusão sobre isso. O jogo não é só a estada do jogador em campo e os riscos sanitários para isso. Vamos avaliar ao longo do dia sobre isso", concluiu o secretário.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários