O comentarista Walter Casagrande voltou a falar sobre sua luta contra as drogas. Convidado do "Encontro" desta quinta-feira, o ex-jogador relatou a Fátima Bernardes que depoimentos dos filhos no programa "Domingão do Faustão" foram importantes em sua recuperação.

Casagrande
Reprodução
Casagrande


"Quando fui no Faustão, teve depoimento dos meus filhos, aí a cobrança começou a vir ao vivo. Aquilo me chocou, eu não percebia que estava daquele jeito. Eu pensava: 'Parou de usar droga, tá resolvido'. Não, as pessoas têm mágoa, as pessoas sofreram, ficaram com raiva do meu comportamento. Principalmente filhos: 'Por que meu pai se afastou de mim?'. Começou a ficar chocante para mim", afirmou o comentarista, que está lançando um livre sobre sua luta contra a dependência química.

"A verdadeira recuperação de um relacionamento acontece naturalmente, não é contando história. Eles não queriam ouvir isso, as pessoas queriam ver a minha atitude, perceber a minha mudança, não é com palavras, é com atitude. Isso me fez recuperar meus relacionamentos, dentro da TV Globo também, tive de recuperar a confiança da emissora. Não foi só voltar a fazer jogo. Foi mais difícil que o tratamento de uma droga. Eu fiquei um ano em uma clínica, protegido. O mais difícil é quando você tem alta, quando abre a porta da clínica e volta pra sociedade", completou.

Casagrande também revelou que, na época em que fazia uso de drogas, o álcool era seu principal inimigo na luta contra a dependência.

"Quando a gente bebe, a crítica dá uma abaixada. Para as pessoas que não tem dependência, não tem problema. Mas o cara que é dependente, na cabeça vem logo: 'Porra, acho que vou pegar uma cocaína. Poxa, só um tirinho, não vai dar nada'. Aí caiu a casa, porque o dependente químico, quando recaí, não recai devagar, ele vai para onde ele estava. Se acontecesse algo assim, o que não vai acontecer, eu ia voltar a como eu estava 15 anos atrás", disse Casão.

    Veja Também

      Mostrar mais