Tamanho do texto

Clube mineiro acusa Fábio Melo, agente do zagueiro Fabrício Bruno, de tentar subtrair documentos após reunião com presidente Vittorio Medioli

Fabrício Bruno, zagueiro do Cruzeiro arrow-options
Bruno Haddad/Cruzeiro
Fabrício Bruno, zagueiro do Cruzeiro

As polêmicas no Cruzeiro parece que nunca acabam. Dessa vez, o clube mineiro Cruzeiro acusa Fábio Melo, empresário do zagueiro Fabrício Bruno , de tentar furtar documentos do atleta da sede do clube.

De acordo com informações do Super Esportes , o caso teria acontecido após uma reunião do agente com Vittorio Medioli, novo presidente do Cruzeiro , e será comunicado à Polícia Militar pelo mandatário celeste.

A reunião serviu para discutir a situação de Fabrício Bruno, que requereu na Justiça a rescisão do contrato com o clube e cobra do clube o pagamento de R$ 3,5 milhões, referentes a direitos de imagem atrasados (de junho a novembro deste ano), FGTS (pendente desde maio), e os vencimentos totais até o fim do contrato, em dezembro de 2021.

Nesta segunda-feira, o Cruzeiro emitiu uma nota oficial, lamentando e explicando o caso. Leia abaixo a íntergra:

O Cruzeiro EC vem a público lamentar o comportamento do agente de jogadores, Fábio Melo, que após uma reunião com o CEO do Núcleo Dirigente Transitório, Vittorio Medioli, tentou se apoderar de alguns documentos sigilosos do clube retornando a sala de reuniões que no momento estava vazia. Após a reunião, Fábio Melo se aproveitou de uma rápida saída de Medioli voltando a sala levando consigo vários documentos.

Ao perceber os movimentos do agente pelo reflexo do vidro, Medioli o abordou na porta do elevador e conseguiu recuperar a maioria dos documentos, mas um acabou escapando e foi notada a falta somente após uma conferência detalhada.

Vittorio Medioli confirmou que vai registrar um boletim de ocorrência na delegacia de polícia.