Tamanho do texto

Cruzeiro e Athletico-PR se garantiram nas quartas de final da competição

Cruzeiro eliminou o Fluminense na Copa do Brasil
Dudu Macedo/Fotoarena/Agência O Globo
Cruzeiro eliminou o Fluminense na Copa do Brasil

O Cruzeiro está nas quartas de final da Copa do Brasil. Após o 1 a 1, na partida de ida das oitavas, no Rio de Janeiro, Cruzeiro e Fluminense, voltaram a empatar, nesta quarta, por 2 a 2, no Mineirão.

O Tricolor abriu o placar com Ganso, no primeiro tempo, equipe mineira virou, na segunda etapa, com dois gols de Thiago Neves e João Pedro igualou novamente o placar, nos acréscimos do jogo pela Copa do Brasil .

Nas penalidades, a Raposa levou a melhor por 3 a 1, com cobranças convertidas por Pedro Rocha, Sassá e Thiago Neves. Pelo Flu, apenas Caio Henrique marcou.

Os duelos das quartas serão realizados após a Copa América e os confrontos ainda serão definidos, por sorteio. O Flu volta a campo, no domingo pelo Brasileirão, para fazer o clássico contra o Flamengo, no Maracanã, às 19h. O time de Mano Menezes fica na capital mineira e recebe o Corinthians, no sábado, no mesmo horário.

Duas cobranças de pênaltis

A partida começou movimentada no Mineirão. O Fluminense trocava longas sequências de passes, enquanto o Cruzeiro tentava a pressão na saída de bola rival. A dinâmica mudou, aos 7 minutos, quando Brenner arrancou em velocidade e foi derrubado por Dedé na área. O árbitro Rafael Traci marcou pênalti com o auxílio do VAR. Ganso bateu do lado direito, Fábio defendeu e Luciano, no rebote, mandou para o fundo das redes, de cabeça. O lance, no entanto, foi anulado por invasão. Em nova cobrança, Ganso repetiu e canto e deixou o Flu em vantagem.

Fred fora 

A situação da Raposa, que já não era boa, piorou quando Fred se lesionou após um choque e precisou ser substituído por Sassá, aos 27. O atacante vive uma “lei do ex” às avessas contra o antigo clube, chegando ao sexto jogo sem marcar gols, desde que deixou o Flu, em 2016. O Tricolor continuou melhor em campo e ditou o ritmo das ações, sem ser ameaçado.

Reação cruzeirense 

O time de Mano Menezes voltou do intervalo mais organizado e começou a encontrar espaços. Thiago Neves, que até então vinha tendo uma atuação discreta, acordou. Depois de um chute perigoso, ele conseguiu igualar o placar. Em lance iniciado em cobrança de escanteio, a bola sobrou para o camisa 10 da Raposa, livre, cabecear para o gol. Os donos da casa ainda tiveram chance da virada, com um pênalti de Nino em Pedro Rocha, mas Agenor defendeu cobrança mal feita de Sassá no canto direito.

Virada e novo empate 

O Cruzeiro continuou pressionando e obrigando Agenor a fazer grandes defesas. A pressão deu resultado e a virada veio em novo pênalti, apontado com auxílio do VAR, de Caio Henrique em Romero. Thiago Neves bateu sem chances para o goleiro do Flu. Quando a partida parecia se encaminhar para a vitória da Raposa, João Pedro brilhou mais uma vez e fez um golaço de bicicleta salvador, aos 51 minutos, aproveitando cruzamento de Daniel.

Penalidades 

Nas cobranças de pênaltis, o Cruzeiro levou a melhor e venceu por 3 a 1. Lucas Silva começou mandando a bola para fora. Na sequência, Ganso e Lucas Romero também desperdiçaram. A bola entrou com Caio Henrique e Pedro Rocha. Em seguida, Fábio pegou cobrança de João Pedro, Sassá Converteu e Gilberto mandou na trave. Thiago Neves fez a cobrança final da classificação da Raposa.

Athletico-PR se classifica

Uma classificação na raça. Após empatar no primeiro jogo, Athlético-PR e Fortaleza protagonizaram um dos melhores jogos da temporada 2019 na Arena da Baixada. Nos minutos finais, a estrela de Marco Ruben brilhou e colocou o Furacão nas quartas de final da Copa do Brasil.

O duelo foi aberto desde os primeiros minutos. Devido ao empate sem gols na ida, as duas equipes não se preocupavam em defender e a velocidade era a principal arma de Athletico e Fortaleza.

Mesmo na casa do rival, o Leão rondava a área defendida por Santos e tentava aproveitar os espaços com finalizações de fora da área. 

Apesar de jogar ao lado da torcida, o Furacão só criou a primeira chance de gol na casa dos 35 minutos. No cruzamento da esquerda, Nikão apareceu livre e cabeceou para fora.

Nos minutos finais o Furacão voltou a apertar e criou duas boas chances. Na primeira, Madson recebeu em ótima condição na grande área, mas chutou forte demais e a bola saiu pela linha de fundo. Na última, Léo Pereira arriscou de fora da área e carimbou o poste de Felipe Alves.

Na etapa final o ritmo do confronto permaneceu o mesmo. Com o Athletico no ataque, o Leão tinha espaço no contra-ataque e em ótima chute de Carlinhos, o Tricolor por muito pouco não abriu o placar.

Após o susto, o Athletico assumiu o comando do meio-campo e começou a jogar no campo do rival, porém, o time de Tiago Nunes não conseguia criar nenhuma chance de fato.

Aos 36 minutos a situação do Leão ficou dramática. Após falta na intermediária, Carlinhos recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Na sequência da jogada, o Furacão levantou na grande área e Bruno Nazário exigiu ótima defesa de Felipe Alves.

No abafa para evitar os pênaltis, o Athletico-PR teve a bola do jogo através de Marcelo Cirino. Na cobrança de escanteio, o atacante testou firme e Felipe Alves fez uma defesa fantástica.

Quando parecia que a decisão seria nos pênaltis, Marco Ruben apareceu. No cruzamento da direita, o camisa 9 apareceu livre e cabeceou, sem chances para o goleiro, 1 a 0 e vaga às quartas da  Copa do Brasil garantida.