Tamanho do texto

O governador Wilson Witzel anunciou em entrevista coletiva o rompimento do contrato de concessão do estádio com a empreiteira Odebrecht

Maracanã (Brasil)
Divulgação
Maracanã (Brasil)

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, anunciou nesta segunda-feira (18) o rompimento do contrato de concessão do Maracanã com a Odebrecht, devolvendo a administração do estádio para as mãos do governo estadual.

Leia também: Estádio no Iraque tem superlotação e dezenas ficam feridos, diz imprensa local

"Estamos retomando o Maracanã , sem qualquer prejuízo das partidas de futebol ou aos clubes. Vamos nos próximos 30 dias ter uma intervenção no Maracanã, por meio da secretaria e da suderj, com uma comissão que estou constituindo, para fazer uma retomada. Estaremos modulando uma permissão de uso até que façamos então uma nova concessão por meio de parceria público privada", anunciou Witzel .

O governador ressaltou ainda que, acordos entre a empresa e os clubes não serão considerados pela administração do estádio.

"Se a concessionária mantinha contrato com os clubes, esses contratos não tem efeito em relação ao estádio. Vou conversar com os clubes para que não aconteça o que houve no Fluminense x Vasco. Ficamos esperando a Justiça decidir com 30 mil querendo entrar, e a polícia no meio dessa história", explicou o governador.

Leia também: Jogo feminino entre Atlético de Madri e Barça registra novo recorde de público

Witzel citou também as condenações da empreiteira na operação Lava-Jato como uma das razões para o encerramento da concessão.

"Manter uma empresa que foi condenada pela Justiça em primeira instância, ainda mais com descumprimento de contrato, não dá para manter, ainda mais com dívida", disse.

O governador garantiu também que o estádio segue como uma das sedes da Copa América, que será realizada em junho no Brasil.

Leia também: Conmebol anuncia sedes da Copa América no Brasil; Morumbi recebe a abertura

"Na Copa América, os jogos vão acontecer com o Maracanã . Sem o maior problema. Já conversei com o presidente da Conmebol, mantenho contato, nada disso vai sofrer prejuízo. Estamos recuperando o estado do Rio. Estamos pagando salários em dia", garantiu Witzel.

    Leia tudo sobre: Futebol