Tamanho do texto

Com o pagamento da última parcela do Real Madrid por Vinícius Júnior, Fla superou sua meta anual de vendas e procura por peças de reposição

Vinícius Junior participou de uma entrevista coletiva na tarde da última segunda-feira para comunicar a sua saída para o Real Madrid. Vendido desde o ano passado, o jogador competará 18 anos em julho e não atuará mais pelo Flamengo . O atacante é um dos destaques do clube no ano, já que divide a artilharia do time no ano com Henrique Dourado, ambos com 10 gols marcados. 

Leia também: De acordo com imprensa chilena, Barrios pode estar perto do Flamengo

Vinícius Júnior durante coletiva de despedida do Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo
Vinícius Júnior durante coletiva de despedida do Flamengo

Com a saída da joia, o Real Madrid vai pagar a última das três parcelas de 15 milhóes de euros (R$ 65 milhões) pelo jogador. No entanto, o balanço financeiro de maio revelou que o Flamengo tem apenas mais R$ 55,2 milhões para receber do clube espanhol. 

Com esse dinheiro chegando em caixa, o clube acumula mais de R$ 100 milhões em vendas apenas neste ano. Com isso, uma grande parte deste montante deve servir para peças de reposição para os jogadores que deixaram o clube.

Os dirigentes do Flamengo evitam falar em negociações, já que é uma política adotada não revelar seus alvos até que a transferência esteja concluída, mas admitem que é hora de ir ao mercado. "O Flamengo está se estruturando para ter time em bom nível para continuar em todas as competições", disse Eduardo Bandeira de melo durante a coletiva.

Com as saídas de Vinícius Júnior e Éverton, que foi para o São Paulo após o clube paulista pagar a multa recisória, um atacante que atue pelos lados é fundamental para o restante da temporada. Atualmente o Flamengo conta com apenas três jogadores com essas características: Geuvânio, Berrío e Marlos Moreno, mas Éverton Ribeiro vem sendo utilizado pelo lado direito quando Diego atua mais centralizado.

Para a vaga deixada por Felipe Vizeu, que se transferiu para a Udinese, da Itália, o clube carioca já acertou com o colombiano Fernando Uribe, que estava livre no mercado depois do final do seu contrato com o Toluca. Assim, o Flamengo só paragá luvas e salários, sem ter que desembolsar uma quantia ao clube mexicano, mas isso não o torna uma contratação barata. O atacante receberá cerca de R$ 600 mil por mês.

Outro atleta vendido recentemente e que o clube deve ir ao mercado para buscar uma peça de reposição é o volante Jonas, que irá atuar no Al-Ittihad. O rubro-negro tem cinco volantes no elenco, mas apenas dois tem uma função forte de marcação para ser titular como homem logo na frente da zaga: Cuéllar e Rômulo.

Leia também: Oitavas da Libertadores terá duelo entre Cruzeiro x Flamengo; veja os confrontos

Reiceitas com vendas em 2018

Hernane comemora mais um gol pelo Flamengo, em 2014
Fla Imagem
Hernane comemora mais um gol pelo Flamengo, em 2014

Além da parcela final de Vinicius Júnior de R$ 55,2 milhões, o Flamengo a primeira parcela da venda de Felipe Vizeu para a Udinese, que foi concretizada no iníio da temporada. O clube carioca irá receber R$ 5,6 milhões, referentes a primeira parcela de um total de R$ 12 milhões pelo atleta.

O último atleta a ser negociado foi o volante Jonas, que irá atual no Al-Ittihad. O clube receberá cerca de R$ 9 milhões pelos 70% dos direitos do atleta que o pertencem. Outros dois jogadores de meio-de-campo foram negociados antes da parada para a Copa do Mundo: Éverton foi para o São Paulo e rendeu R$ 7,5 milhões aos cofres e Mancuello, que se transferiu para o Cruzeiro e o Fla recebeu R$ 5,8 milhões.

O clube recebeu até com a saída de Reinaldo Rueda. O treinador deixou a equipe para comandar a seleção chilena em janeiro, gerando mais R$ 2,4 milhões de receita.

Leia também: Tite anuncia Miranda como capitão e manutenção do time contra Sérvia

For fim, o Flamengo recebeu R$ 21,5 milhões do Al Nassr pela transferência de Hernane, que aconteceu em 2014. Depois da ida do atacante para o mundo árabe, o clube brasileiro não recebeu os valores da negociação e teve que entrar na justiça. O pagamento foi realizado com acréscimos, juros e corrigido pela inflação.

    Leia tudo sobre: Futebol