Tamanho do texto

Flamengo se sagrou campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior ao derrotar o Tricolor por 1 a 0. Fla conquista seu 4º título da competição

São Paulo e Flamengo fizeram um jogo eletrizante na final da Copinha . O rubro-negro acabou se sagrando campeão do torneio ao vencer a partida por 1 a 0, com gol do atacante Wendel , logo aos dois minutos de jogo, e belas defesas do goleiro Yago. O Tricolor foi melhor e pressionou o adversário durante toda a partida, contando com grandes atuações do meia Helinho , que saiu machucado no segundo tempo,  e do atacante Toró, que chutou uma bola na trave logo após o time sofrer o tento, no início do primeiro tempo.

Leia também: Nos pênaltis, São Paulo derrota o Inter e pegará o Flamengo na final da Copinha

Jogadores de São Paulo e Flamengo durante a final da Copinha
Divulgação/Flamengo
Jogadores de São Paulo e Flamengo durante a final da Copinha

Os dois clubes chegaram ao Pacaembu para definir quem seria o campeão da edição 2018 da Copa São Paulo de Futebol Júnior , o torneio mais tradicional das divisões de base do país. Ambos os times chegaram a decisão com três títulos cada. O tricolor vinha de ótima campanha, superando Cruzeiro, Vitória e Internacional. O rubro-negro passou por Audax, Avaí e Portuguesa nas últimas fases da competição.

O jogo

A partida mal começou e o Flamengo logo achou seu gol. O meia Pepê, um dos melhores da partida pelo lado carioca, cobrou escanteio perto da marca do pênalti. O atacante Wendel subiu livre, cabeceou no canto direito do goleiro Júnior e abriu o placar no Pacaembu. 

Entretanto, o jovem time do São Paulo não se abateu e logo criou duas grandes chances de empate. Aos 4 minutos, Liziero arriscou lindo chute de fora da área, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.  Logo depois, Toró aproveitou a sobra no meio da área rubro-negra, e, com um leve toque, tirou completamente do goleiro Yago Darub. A bola caprichosamente bateu na trave antes de sair. Com as duas oportunidades, a torcida Tricolor se animou no Pacaembu.

Liderando o placar, o Flamengo apostava nos contra-ataques e na velocidade de seus pontas, enquanto o clube paulista priorizava o toque de bola e a qualidade de passe dos seus meias. com isso, dominava a posse de bola. O Tricolor pressionava a saída de bola e obrigava o adversário a fazer ligações diretas.

Aos 27 minutos, parte da torcida do São Paulo chegou a gritar gol. Sara fez bela jogada pela direita, invadiu a área e tocou para Igor. O meia finalizou quase na pequena área, mas a bola desviou na zaga e foi na rede pelo lado de fora. Para quem estava do lado oposto, parecia que ela tinha entrado.

Durante o restante da primeira etapa, o São Paulo continuou dominando as ações e o Flamengo se limitava a se defender. O Tricolor apostava em muitas jogadas pelas laterais, com toques para trás esperando a chegada dos meias. Nos 45 minutos iniciais, a zaga do clube carioca conseguia cortar os passes antes de chegar aos alvos. 

O segundo tempo começou como terminou o primeiro, com o São Paulo pressionando e criando as melhores oportunidades. Logo aos 2 minutos, Gabriel Sara cruzou no meio da área e Rodrigo subiu sozinho para cabecear. Ia ser uma jogada igual ao gol do Flamengo, mas o zagueiro não conseguiu acertar o alvo.

Toró continuava infernizando a zaga rubro-negra pelo lado esquerdo de ataque. Em uma dessas jogadas, aos 15 minutos, o ponta deixou o lateral Bernardo perdido e tentou o cruzamento rasteiro. A bola desviou no meio do caminho e quase pegou o goleiro Yago no contrapé. Ele teve que voltar para o canto para fazer a defesa.

Aos 26 mais uma grande chance do São Paulo. Liziero recebeu na ponta esquerda com certa liberdade. O lateral arriscou um chute improvável e quase pegou o goleiro Yago destraído. O arqueiro mostrou reflexo para impedir o gol de empate do Tricolor e mandar a bola para escanteio. A pressão do clube paulista continuava. Três minutos depois, Yago salvou o Flamengo mais uma vez após grande cabeçada do atacante Gabriel, que entrou no segundo tempo.

Quando o jogo ia se aproximando no fim, o São Paulo começou a apostar no jogo aéreo. Aos 38, Anthony fez bela jogada, mas Gabriel Novaes desperdiçou o cabeceio, mesmo sozinho no meio da área. No lance seguinte, foi a vez de Sara chegar por trás da zaga rubro-negra e desperdiçar outra chance pelo alto.

Aos 42, também no jogo aéreo, a melhor oportunidade. Igor levantou e o zagueiro Rodrigo cabeceou forte, mas Yago continuou salvando o Flamengo.

Depois de oito minutos de acréscimos, o juiz apitou o final do duelo. O Flamengo conquistou seu quarto título da Copa São Paulo e se igualou ao Internacional como o terceiro maior vencedor da competição. O rubro-negro nunca perdeu uma final.

Mesmo pressionando durante todos os 90 minutos, o São Paulo não consegiu superar a retranca do Flamengo, que se defendeu muito bem durante toda a partida. Os jovens do Tricolor tiveram grande atuação, repedindo o futebol envolvente que levou o clube até a decisão do torneio. Com o gol sofrido logo aos dois minutos, o Tricolor ficou com o vice-campeonato da Copinha.

Leia também: Ronaldo Fenômeno revela truque para nunca ter sido flagrado bebendo cerveja

Campanha e histórico do São Paulo 

Integrante do grupo 10 da competição, com sede em Ribeirão Preto, o São Paulo estreou no torneio com vitória por 6 a 2 diante do Cruzeiro-DF; depois, na segunda partida, a equipe fez 3 a 1 sobre o Sergipe; e, por fim, aplicou uma goleada por 4 a 0 sobre o Botafogo-SP, garantindo classificação e a primeira colocação da chave.

O time terminou a fase de grupos com o melhor ataque da Copinha ao lado do Botafogo-RJ, 13 gols anotados. Na segunda fase da competição, o Tricolor Paulista eliminou a Chapecoense por 2 x 0, com dois gols do atacante Toró. Na fase seguinte, o clube derrotou o Botafogo-SP por 1 a 0, com gol Fabinho.  Nas oitavas de final, o São Paulo superou o Cruzeiro, também por um a zero, com gol do meia Igor.

Já nas quartas de final, empatou por 2 a 2 com o Vitória, com dois gols de Toró, e contou com o brilho do goleiro Lucas para eliminar a equipe baiana por 4 a 3 nas penalidades e se garantir na semifinal da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Também nos pênaltis, o time superou o Internacional na semifinal por 6 a 5, após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar.

Tricampeão da principal competição do Brasil entre jogadores da base - conquistou o título em 1993, 2000 e 2010 -, o time paulista busca o tetra no torneio que começou com 128 equipes e 32 chaves de quatro clubes cada. Além das três conquistas, o SP também chegou em outras seis finais, totalizando nove.

Parceria de sucesso

Também com patrocínio do  iG , a equipe sub-20 do  São Paulo venceu o clássico contra o Palmeiras no último mês de dezembro e conquistou seu terceiro título seguido na Copa RS, um dos principais torneios da categoria de base. A eletrizante final da competição, disputada em Porto Alegre, terminou em 4 a 3, com o gol do triunfo tricolor sendo anotado já nos acréscimos do segundo tempo.

A vitória são-paulina não poderia ter sido mais suada. O Palmeiras esteve à frente no placar três vezes durante a partida e o Tricolor jogou grande parte do segundo tempo com um jogador a menos devido à expulsão de Walce em lance de pênalti.

Leia também: Com mistério, Mattos revela oferta "excepcional" por Dudu, mas atacante fica

A memorável vitória no torneio disputado no Rio Grande do Sul coroou uma campanha impecável do time sub-20 do São Paulo. Foram sete vitórias em sete partidas disputadas ao longo da Copa RS, onde a equipe enfrentou times fortes como o rival alviverde, o Internacional, a Chapecoense, o Bahia, e os argentinos Lanús, Huracán e Argentinos Júniors.

    Leia tudo sobre: Futebol