Tamanho do texto

Gianni Infantino falou antes de começar a reunião do Conselho da Fifa em Manama e ressaltou que irá encontrar o ganês Muntari pessoalmente

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, lamentou nesta terça-feira que ainda existam idiotas que insistem em ter atitudes racistas no futebol e disse que irá falar pessoalmente com o meia ganês Sulley Muntari, do Pescara, da Itália, que sofreu recentemente e tratará com ele formas de lutar contra esse problema.

Leia também: Árbitro expulsa bandeirinha por vomitar em campo. Não entendeu? Então assista

"Vou falar com Muntari e trabalharemos juntos. Lamentavelmente há idiotas em todas partes, mas temos que combatê-los e trabalhar frente a eles" afirmou o suíço-italiano e mandatário da entidade máxima do futebol antes de começar a reunião do Conselho da Fifa em Manama. O evento é uma prévia do Congresso do órgão que acontecerá nesta quarta-feira, na capital do Bahrein.

Gianni Infantino chamou de idiotas as pessoas que têm atitudes racistas no futebol
Reprodução
Gianni Infantino chamou de idiotas as pessoas que têm atitudes racistas no futebol

O caso

Infantino se referiu desta forma ao incidente protagonizado no último dia 30 de abril pelo meia Muntaria, que deixou o campo durante a partida contra o Cagliari, na primeira divisão do Campeonato Italiano como forma de protesto depois de escutar gritos racistas vindos das arquibancadas.

O jogador chegou a pedir ao árbitro que interrompesse a partida no minuto 90 por conta dos crimes cometidos pelos torcedores, mas este não aceitou sua solicitação e puniu o atleta com cartão amarelo. Foi então que o ganês deixou o gramado do estádio Sant'Elia e sua equipe ficou com 10 jogadores no encontro, que foi vencido pelo Cagliari por 1 a 0.

Leia também: Maradona sobre anulação da suspensão de Messi: "Merecia mais um jogo de punição"

Muntari ainda foi suspenso por um jogo depois de "ter sido avisado por duas vezes por causa dos seus protestos e por ter violado os regulamentos ao abandonar o jogo sem autorização do árbitro", entretanto a Federação Italiana de Futebol (FIGC) anulou a punição depois.

A Série A italiana decidiu ainda não punir o Cagliari e considerou que os gritos racistas partiram de uma dezena de torcedores que representavam menos de 1% das pessoas que estavam em determinado setor do estádio.

Leia também: Marcelo é eleito o segundo melhor defensor do mundo; veja a lista

Infantnio, que ressaltou sua "total solidariedade" com Muntari chamando os criminosos de idiotas e indicou que tem intenção de falar com o presidente da Federação Italiana, Carlo Tavecchio.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.