Tamanho do texto

Atual melhor jogadora pela Fifa, a capitã da seleção dos Estados Unidos Carli Lloyd é duas vezes campeã olímpica e campeã do Mundo em 2015

Carli Lloyd
Reprodução/ Manchester City
Carli Lloyd

O Manchester City anunciou nesta quarta-feira (15) a contratação de Carli Lloyd. Eleita nos últimos dois anos pela Fifa como a melhor jogadora do mundo, a meia vai reforçar a equipe e representar o clube na Liga dos Campeões e a Copa da Inglaterra femininas.

LEIA MAIS: Cristiane irá para a China e será a jogadora mais bem paga do mundo

Aos 34 anos, a capitã da seleção norte-americana se juntará ao elenco no início de março, quando começam os treinos. "Estou emocionada por estar aqui, ansiosa para começar e encontrar minhas companheiras de equipe", disse Carli Lloyd à "CityTV". "Esta é uma oportunidade única e eu não poderia estar mais orgulhosa em fazer parte do clube aqui em Manchester".

Carli estreeou no futebol profissional em 2005. Com a camisa da seleção dos Estados Undidos, entrou 232 vezes em campo, marcando 96 gols. Com duas medalhas de ouro, nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 e Londres 2012, a americana conta também com três participações em Copas do Mundo. Em 2015, foi eleita a atleta de futebol do seu país.

LEIA MAIS: Três brasileiros estão entre os 100 melhores estrangeiros da Premier League

"É difícil dizer, Copas do Mundo, Olimpíadas... Estes todos foram maravilhosos", disse Carli Lloyd ao ser questionada sobre a sua maior conquista como jogadora. "Eu provavelmente diria que vencer a Copa do Mundo em 2015 foi o ponto alto da minha carreira, porque não era ganho por um bom tempo."

Man City

Sobre a contratação, a atleta publicou o seu entusiasmo no Twitter. "É oficial agora! Estou muito feliz em ter assinado com o Manchester City e mal posso esperar para começar com o time e pelo novo desafio que tenho pela frente", escreveu a ex-atleta do Houston Dash.





LEIA MAIS: Meia de 21 anos renova com o Tottenham e vai receber quase R$ 100 mil por semana

No ano passado, Carli Lloyd foi eleita a Melhor do mundo pela segunda vez consecutiva, desbancando a brasileira Marta e a alemã Melanie Behringer. Mas os feitos parecem ainda não serem suficientes para a atleta. "A maior coisa para mim, como jogadora é: como eu posso continuar melhorando?", disse.

    Leia tudo sobre: futebol