Tamanho do texto

Localizado no estádio no Pacaembu, o museu apresenta uma exposição permanente e uma temporária, sobre o futebol nos Jogos Olímpicos

Museu do Futebol tem exposição permaente e temporária, além de oficinas até o fim de ano
Camila Boehm/Agência Brasil
Museu do Futebol tem exposição permaente e temporária, além de oficinas até o fim de ano

O Museu do Futebol, localizado no estádio do Pacaembu, tem entrada gratuita até o dia 30 de dezembro, próxima sexta-feira, e uma programação especial com oficinas para o público durante o período de férias escolares. O museu apresenta uma exposição permanente e uma temporária, sobre o futebol nos Jogos Olímpicos, que termina exatamente no últido dia útil do ano.

HO HO HO: Atletas comemoram o natal ao redor do mundo; veja fotos

O espaço dentro do Museu do Futebol apresenta, em sua exposição permente, a história brasileira relacionada ao futebol no século 20, o que evidencia o esporte como uma das manifestações culturais do país, por meio de vídeos, fotografias, áudios, objetos, com destaque para a interatividade, que propicia a troca de histórias e memórias com os visitantes. O passeio sensorial é dividido em três partes principais: História, emoção e diversão.

“Nossa exposição principal conta como o futebol no Brasil se tornou essa grande paixão nacional, uma exposição que não é feita só para quem ama futebol. Aquela pessoa que vem aqui acompanhar alguém se surpreende muito com o museu e sai daqui encantada. O museu tem essa grande vantagem de agradar realmente todos os públicos. Ele mostra um lado positivo da história brasileira, um lado de paixão, de emoção”, disse a diretora do museu, Daniela Alfonsi.

LEIA MAIS: China pode tornar Rooney o jogador mais bem pago do mundo

O local apresenta também a participação das mulheres no futebol, que outrora foram proibidas de praticar o esporte no Brasil, com destaque para as jogadoras Marta, cinco vezes melhor do mundo, e a experiente Formiga. Na sala 'Anjos Barrocos', estão as duas jogadoras e mais 25 jogadores homens, que representam os maiores ídolos do futebol brasileiro.

“A Marta (foi escolhida) por ter sido a jogadora mais vezes eleita melhor do mundo pela Fifa, e a Formiga por ser a jogadora que mais tempo atuou na seleção brasileira. São dois recordes que nenhum homem conseguiu ter”, concluiu Alfonsi.

Interatividade

Crianças e adultos podem testar a velocidade de seu chute no espaço 'Chute a Gol', além de jogar partidas de pebolim (ou totó) em mesas que têm diferentes esquemas táticos do futebol e participar de oficinas e visitas guiadas gratuitas com a equipe de educadores do museu.

O supervisor do Núcleo de Ação Educativa, Daniel Magnanelli, ressaltou a interatividade do museu, onde o visitante pode “chutar uma bola, bater um pênalti, escolher a jogada a que quer assistir do time do coração ou de alguma seleção que viu jogar”, além de ver imagens e situações que até já presenciou ou que foram contadas por parentes.

LEIA MAIS: Tabela detalhada da Libertadores 2017 é divulgada; confira datas e horários

“Quando as pessoas chegam ao museu, elas encontram aquilo que elas vivenciaram, por exemplo, senhores que vivenciaram a Copa de 1950. Então não é só a exposição, eles vão trazer a memória que eles tinham sobre o fato, vão compartilhar com um amigo ou familiar que está com ele, com os funcionários e também com uma pessoa que eles nunca viram na vida, alguém que esteja olhando a mesma imagem que ele”, afirmou Daniel.

Outro destaque do museu é a 'Sala da Exaltação', que está localizada embaixo da arquibancada do estádio do Pacaembu e mantém as características originais da construção, com suas colunas e finalização em concreto. Nas paredes há a projeção de um vídeo que traz a sensação para o visitante de estar dentro de uma partida de futebol, com uma torcida gritando e pulando.

“Você (pode) ver que a mesma estrutura que sediou a Copa em 1950 ainda está de pé, ainda está inteira e você tem acesso, você pode tocar. Você está embaixo de uma arquibancada e, quando você olha pra cima, você vê de fato que tem todas as curvas de uma arquibancada, você se aproxima”, acrescenta Daniel.

Além da mostra permanente, o público pode conferir a exposição temporária 'O Futebol nas Olimpíadas', que traz as camisas de Bárbara e Weverton - goleiros olímpicos -, a bola de futebol usada nas penalidades do jogo que garantiu o ouro olímpico inédito para o Brasil em 2016; a mostra traz, entre outras instalações, cartazes de todas as edições dos Jogos Olímpicos Modernos.

O Museu do Futebol não abrirá nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. Até o dia 30 de dezembro, a entrada é gratuita. Após esse período, os ingressos custam R$ 9 (inteira) e R$ 4,50 (meia), com entrada gratuita aos sábados. *Com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: futebol