Tamanho do texto

Novo técnico do Colorado relembrou o caso de racismo com um adversário quando ainda era jogador e diz que agora tem oportunidade de se redimir

Antônio Carlos Zago será o responsável por reerguer o Internacional na Série B
Divulgação/Internacional
Antônio Carlos Zago será o responsável por reerguer o Internacional na Série B

Antes mesmo de acabar o Brasileirão já era sabido que Lisca não ficaria no comando técnico do Inter. Após o rebaixamento à Série B ser confirmado, a diretoria agiu rapidamente e além de demitir Lisca "Doido", confirmou a contratação de Antonio Carlos Zago , que estava no Juventude e chega ao Colorado juntamente com uma nova comissão técnica formada por Galeano e Carlos Pacheco.

Zago foi apresentado nesta terça-feira (13) na sala de conferências do Beira-Rio ao lado do presidente eleito Marcelo Medeiros, o novo vice de futebol Roberto Melo e do gerente executivo Jorge Macedo e contou que o acertou foi feito de forma rápida e que ainda não analisou o atual elenco, mas contou como gosta de escalar os times que comanda.

"É um ano atípico para a história do Internacional, mas estou feliz em fazer parte desse desafio. Tudo foi muito corrido, houve um contato do Inter na quinta e na sexta chegamos a um acordo. Vamos procurar fazer um time competitivo para que o Inter retorne à Série A o mais rápido possível. A partir de hoje vamos falar sobre o elenco do próximo ano. O objetivo é montar um grupo de Série A para disputar a Série B", afirmou.

LEIA MAIS: Menino afegão que usou camisa de Messi feita com sacola plástica conhece o ídolo

"Gosto de um time com toque de bola, com triangulações, sendo ofensivo mas sem nunca esquecer da parte defensiva, que é importante. O time também deve ter compactação, ou seja, tudo que a maioria dos treinadores costumam fazer dentro da suas equipes. Mas tudo isso exige planejamento e muito trabalho no dia a dia", continuou o treinador.

Durante sua apresentação, Zago falou também sobre o possível retorno do meia D'Alessandro, que está emprestado ao River Plate, mas tem contrato com o Inter e relembrou uma grande polêmica de sua carreira como jogador: o episódio de racismo com o jogador Jeovânio, do Grêmio, quando ele jogava pelo Juventude e classificou o caso como uma "mancha" em sua carreira.

"Todos erram, não fui o único que errei dentro de campo. Paguei na Justiça comum e em algumas conversas que tive com Deus, e isso foi o mais importante. Venho trabalhar em uma equipe que foi pioneira ao abrir as portas para os negros no Rio Grande do Sul. É uma oportunidade única de me redimir de tudo aquilo que eu fiz e fazer com que as pessoas me conheçam melhor como sou fora de campo", ponderou.

LEIA MAIS: Cristiano Ronaldo se diz abalado com processo por fraude fiscal: "Me dói muito"

"O D'Alessandro é um dos três maiores ídolos do Inter. Quero contar com ele no próximo ano. Sempre bom ter jogadores e líderes", falou ainda o novo técnico, que pediu o apoio de todos no difícil momento do time de Porto Alegre.

"Esperamos o apoio de todos. Mesmo estando na Série B, contamos com o calor da torcida. Isso é muito importante neste momento. A torcida tem que caminhar ao lado do time o ano todo", finalizou.

Carreira

Seu último clube como treinador foi o Juventude, onde conquistou o acesso para a Série B neste ano e levou o time às quartas de final da Copa do Brasil, sendo eliminado pelo Atlético-MG, nos pênaltis, após passar por Coritiba e São Paulo, alcançando a melhor campanha desde o título de 1999. Zago treinou também o São Caetano, Palmeiras, Mogi Mirim, Vila Nova e Audax-SP.

    Leia tudo sobre: futebol