Tamanho do texto

Longa traz depoimentos emocionantes sobre o crescimento do clube que possui o maior número de conquistas nacionais do país

Torcida do Palmeiras já comemorou muitos títulos ao longo da história mais que centenária do clube
Divulgação
Torcida do Palmeiras já comemorou muitos títulos ao longo da história mais que centenária do clube

Fundado por italianos que moravam em São Paulo em 1914 com o nome de Palestra Italia, o clube foi obrigado a trocar de nome em 1942 e passou a se chamar Palmeiras. Mesmo assim, manteve os números vencedores. No ano de 2000 o clube foi reconhecido por diversos rankings como o “Campeão do Século XX”. Por esse motivo, o alviverde ganha, como presente de aniversário de 102 anos, um filme sobre sua trajetória, de dramas a grandes vitórias e títulos, resgata histórias desde o primeiro caneco, em 1920, contra o Paulistano, até a conquista da Copa do Brasil, em 2015.

LEIA MAIS:  "1976 – O ano da invasão Corinthiana": Documentário será lançado neste mês

“Palmeiras – Campeão do Século” já está nos cinemas ( assista ao trailer no fim da matéria ) da capital paulista e em Jundiaí, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo. O filme, que é produzido pelo Canal Azul e dirigido por Mauro Beting e Kim Teixeira, traz depoimentos emocionantes sobre o crescimento do clube que possui o maior número de conquistas nacionais do país. Após apresentar os primeiros títulos , o longa relembra as dificuldades enfrentadas pelo clube. 

LEIA MAIS:  Borussia Dortmund tem a melhor média de público da Europa no início da temporada

“São mais de 100 anos contados em 100 minutos. O Palestra Italia foi um clube que não pôde ser mais Itália nem Palestra pela intolerância do governo Vargas. O clube foi forçado a mudar de nome em função da Segunda Guerra Mundial. Mas os ideais se mantiveram. O Palestra morreu líder e o Palmeiras nasceu campeão paulista em 1942”, disse Mauro Beting, jornalista e um dos diretores do filme.

SOBRE O FILME

O episódio conhecido como “Arrancada Heroica” inspira a sequência inicial do documentário. Os times palmeirenses dos anos 60 e 70 são estrelas desse grande elenco. Eles davam aula de bola. Por isso, ganharam da imprensa o apelido de “Academia”. Ademir da Guia, Dudu, Luís Pereira, Leivinha e César Maluco relembram as proezas e partidas do elenco que foi base da Seleção Brasileira nos anos 1970, e foi toda a seleção em um amistoso contra o Uruguai, em 1965.

Ex-jogadores do Palmeiras deram depoimentos para o filme
Divulgação
Ex-jogadores do Palmeiras deram depoimentos para o filme

As glórias e lutas estão no longa que conta, também, as quedas de divisão. As saídas de ídolos e a ascensão de jogadores como Edmundo, Evair, Zinho e César Sampaio. Eles acabaram com o jejum de 16 anos sem títulos. Três deles conquistaram a Libertadores da América, em 1999. Abençoados por ‘São Marcos’, goleiro canonizado pela torcida por suas defesas, conquistas, caráter e paixão, mesmo nos períodos mais difíceis e sem títulos.  

LEIA MAIS:  Clube da Série C, eliminado, tem a melhor média de público da Copa do Brasil

A história do Palmeiras é inspiração até mesmo para quem não torce pelo time. Ex-jogadores, como Paulo Nunes, Cléber, Amaral e Sérgio, além de outros ídolos, dão depoimentos ilustrados por imagens históricas de momentos vividos pelo clube. O ex-goleiro Oberdan Cattani, uma das cinco estátuas que ficam nas alamedas da sede, deu ao filme seu último depoimento antes de falecer, em 2014. O documentário percorre a história alviverde desde a fundação, em 26 de agosto de 1914, até a conquista do tricampeonato da Copa do Brasil, em dezembro de 2015, além de muitos títulos. Narra a compra do Parque Antarctica, em 1920, até a reconstrução do Allianz Parque, em 2014. Vale a pena conferir.