Tamanho do texto

Primeiro teste será em duelo desta quinta-feira entre Itália e França, em Bari. Entidade parece cada vez mais inclinada a colocar a tecnologia no futebol

Gianni Infantino, presidente da Fifa, quer testar tecnologia no futebol
ENNIO LEANZA/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Gianni Infantino, presidente da Fifa, quer testar tecnologia no futebol

Seguindo o plano de reformulação total no futebol mundial, a Fifa fará, nesta quinta-feira, o primeiro teste oficial com o auxílio de árbitros de TV. Assistentes de vídeo ficarão posicionados numa cabine para acompanhar, por meio de um monitor, todos os lances do amistoso entre Itália e França, em Bari, a partir das 15h45 (Brasília). O teste tem o intuito de aprimorar e reduzir os erros da arbitragem em jogos oficiais de todos os compeonatos da Fifa, incluindo a Copa do Mundo - embora, porém, trata-se apenas de testes, a princípio.

LEIA MAIS:  Estado Islâmico propõe futebol com "leis de Alá", sem árbitro e com agressões

Os auxiliares do árbitro holandês Bjorn Kuipers, escalado para o confronto, vão acompanhar o confronto em espaço reservado no estádio San Nicola, com finalidade de se comunicar com o juiz toda vez que ele tiver dúvidas ou agir de maneira incorreta. De acordo com as novas regulamentações feitas pela Fifa , as decisões da arbitragem podem ser alteradas após as imagens dos vídeo comprovarem o erro. O foco do testa está na validação de um gol duvidoso, aplicação de cartão vermelho, pênaltis e briga de jogadores.

LEIA MAIS:  Com penas inéditas, STJD pune Flamengo e Palmeiras por briga de torcidas

Por enquanto, os árbitros não poderão parar a partida. As informações serão trocadas via rádio durante a realização do jogo. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, deve acompanhar o duelo com seus dois homens de confiança da argitragem: suíço Massimo Busacca e o italiano Pierluigi Collina.

Sucesso em outros esportes

Enquanto o futebol ainda resiste ao uso de tecnologia para diminuir os erros, outros esportes utilizam alguns recursos para evitar que o resultado da partida seja influenciado pela arbitragem. As Olimpíadas foram prova disso.

O vôlei, por exemplo, possui o desafio. É possível pedir dois por set e, em caso de vitória, você continua tendo o mesmo direito. O desafio geralmente é pedido em lances de bola próxima à linha, mão na rede, etc.

O tênis é o esporte pioneiro nesse assunto. Desde 2007 os jogadores desafiam a arbitragem a rever lances quando julgam necessário. O árbitro também pode solicitar o auxílio do vídeo quando ficar em dúvida.

LEIA MAIS:  Massa diz que se inspirou em Schumacher para anunciar adeus à Fórmula 1

Por essas e por outras que a Fifa parece cada vez mais inclinada a colocar a tecnologia a serviço do esporte mais popular do mundo.