Tamanho do texto

Os investigadores do Comitê de Ética da Fifa pediram a suspensão de Kirsten Nematandani, Jonathan Musavengana e Bana Tchanile

Kirsten Nematandani está suspenso por seis anos
Divulgação
Kirsten Nematandani está suspenso por seis anos

Mais de um ano após o início da grande operação do FBI e da polícia suíça que culminou na prisão de diversos cartolas da Fifa e outras confederações ao redor do mundo, os procuradores do Cômite de Ética da entidade requisitaram nesta semana a suspensão por seis anos do ex-presidente da Associação Sul-Africana de Futebol (Safa, na sigla em inglês), Kirsten Nematandani, por conta da sua atuação em mais um esquema de manipulação de resultados em amistosos da seleção daquele país, em 2010, ano que sediou a Copa do Mundo, vencida pela Espanha.

LEIA MAIS:  Michael Phelps, a lenda olímpica que também se arrisca no poker

Os investigadores do Comitê de Ética da Fifa pediram também a eliminação para o resto da vida de Jonathan Musavengana, funcionário da Associação de Futebol do Zimbábue, e também do ex-treinador da seleção de Togo, Bana Tchanile, conforme explicou a entidade.

LEIA MAIS:  Polícia do Rio prende membro do COI por suspeita de cambismo na Olimpíada

Em outras determinações da instituição máxima do futebol mundial, quatro funcionários da associação sul-africana também foram banidos por no máximo seis anos por manipulação em em amistosos que antecederam o Mundial de seis anos atrás. Naquela ocasião, os árbitros dos confrontos foram definidos por Wilson Raj Perumal, de Cingapura, ele ficou afamado por diversas participações em outros casos de adulteração de resultados.

LEIA MAIS:  Por que as gêmeas alemãs que chegaram de mãos dadas despertaram polêmica

Atualmente, entretanto, os promotores pediram a punição de outros três. Um deles comandou a associação sul-africana de 2009 até 2013, conhecido por Nematandani. Tchanile, além disso, foi punico em outra ocasião por criar e levar um time falso do Togo para duelar uma partida em 2010, no Bahrein.

RELEMBRE

Os amistosos que tiveram resultados manipulados aconteceram em maio de 2010, quando a seleção sul-africana se preparava para a disputa da Copa do Mundo da Fifa, em seu país. Foram jogos contra a Tailândia, Bulgária, Colômbia e Guatemala. Houve um triunfo por 2 a 1 sobre a Colômbia e os dois gols foram marcados de pênalti, sendo que após o cobrador errar a primeira cobrança, o árbitro pediu para voltar. Eles ainda goleraram a seleção guatemalteca por 5 a 0, com dois gols oriundos de penalidades.

*Com Estadão Conteúdo