Tamanho do texto

Leonardo Fernandes Oliveira, conhecido como Leozinho, de 22 anos, foi identificado como responsável pelo espancamento da vítima

A Polícia Civil do Rio prendeu um militar do Exército pelo assassinato de Thiago da Silva França, de 31 anos, durante uma briga de torcidas do Flamengo e do Botafogo , ocorrida na manhã de sábado, em Bento Ribeiro, zona norte do Rio, antes do clássico entre os dois times.

Botafoguenses e Flamenguistas se enfrentaram nas ruas de Bento Ribeiro, zona norte do Rio
Reprodução
Botafoguenses e Flamenguistas se enfrentaram nas ruas de Bento Ribeiro, zona norte do Rio

Leonardo Fernandes Oliveira, conhecido como Leozinho, de 22 anos, foi identificado como responsável pelo espancamento da vítima pela Delegacia de Homicídios da Capital, informou a assessoria de imprensa da Polícia Civil. Segundo as investigações, França, que era integrante da torcida organizada Fúria Jovem, do Botafogo, foi morto com golpes de enxada, pedra e madeira.

O suspeito é integrante da Torcida Jovem do Flamengo, uma das maiores organizadas do clube. Os investigadores procuram ainda dois integrantes da mesma torcida que também teriam participado das agressões que mataram a vítima. Por ser militar, Oliveira foi encaminhado para o Exército, onde ficará preso, "à disposição da Justiça criminal", informou a Polícia Civil em nota.

Torcedor botafoguense foi morto após briga com flamenguistas
Reprodução
Torcedor botafoguense foi morto após briga com flamenguistas

A briga entre torcedores do Flamengo e do Botafogo ocorreu horas antes do clássico entre os dois clubes pelo Campeonato Brasileiro, que terminou com um empate por 3 a 3.

Segundo as investigações da Delegacia de Homicídios, as torcidas se concentravam ou se deslocavam para o estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador, zona norte do Rio, que recebeu a partida - o Botafogo reformou o estádio, com capacidade para 15 mil torcedores, pois tanto o Maracanã quanto o Engenhão já estão cedidos para a organização dos Jogos Olímpicos.

No sábado, a Polícia Militar já havia informado que agentes do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe) detiveram 21 suspeitos de envolvimento na briga.

A Polícia Civil informou que 20 homens foram presos e cinco adolescentes, apreendidos, com base no Estatuto do Torcedor, que pune brigas de torcida.

"Por tratar-se de crime de menor potencial ofensivo, após assinar termo de compromisso, os envolvidos na rixa foram liberados e deveram comparecer na Justiça para julgamento", diz a nota da Polícia Civil.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.