Tamanho do texto

Carismático, Juvenal, que faleceu em dezembro de 2015, foi um dos mais marcantes presidentes da história do Tricolor

Juvenal Juvêncio, um dos mais irreverentes presidentes do São Paulo
Reprodução
Juvenal Juvêncio, um dos mais irreverentes presidentes do São Paulo

O ex-presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, faleceu em nove de dezembro de 2015,  com 81 anos, e, com certeza, deixou um grande legado na história do clube. Sempre irreverente nas entrevistas e com diversos "adversários", como Marco Polo Del Nero e Carlos Miguel Aidar, que outrora foi seu parceiro, JJ, como era conhecido, esteve à frente do Tricolor paulista em duas oportunidades: de 16/04/88 a 23/04/90 e 17/04/06 a 16/04/14.

LEIA MAIS:  São Paulo abre os cofres e acerta a contratação definitiva do zagueiro Maicon

Em seu primeiro mandato, Juvenal Juvêncio foi modesto e pôde comemorar, como presidente, apenas o título do Campeonato Paulista de 1989. Quando retornou, em abril de 2006, o São Paulo era o atual campeão da Copa Libertadores e do Mundo, ou seja, sua responsabilidade foi ainda maior no comando de um dos maiores clubes do Brasil e do mundo. E ele não fez feio.

Com um time comandado dentro de campo pelo goleiro Rogério Ceni, Juvenal viu o São Paulo pular de três para seis títulos do Campeonato Brasileiro e se tornar o primeiro clube hexacampeão do torneio que começou em 1971. Os títulos de 2006, 2007 e 2008 colocaram o então mandatário como um dos presidentes preferidos entre os torcedores são-paulinos. Mas para não dizer que só falamos das flores...

Um jejum de títulos de quatro anos, isto é, de 2008 a 2012, fez muitos questionarem o trabalho de Juvenal. Com Lucas Moura como principal jogador do time, o São Paulo conquistou somente a Copa Sul-Americana de 2012 e deixou de “reinar” como um dos maiores campeões do futebol brasileiro no século 21.

JJ deixou o comando do Tricolor em abril de 2014 e seu legado pode ser considerado positivo. Mas você deve estar se perguntando: "E os outros presidentes, iG?". Bom, vamos aos números.

Títulos nacionais

O São Paulo conquistou seis Brasileiros e é um dos maiores vencedores do torneio, ao lado do Corinthians. Com mais, apenas Santos e Palmeiras, que conquistaram oito cada*. Desses seis, como falado, Juvenal foi o presidente em três. Nos outros três, 1977, 1986 e 1991, Henri Couri Aidar, Carlos Miguel Aidar e José Eduardo Mesquita Pimenta, eram os presidentes, respectivamente.

Em 2001, Paulo Amaral Vasconcellos era o presidente quando o time ganhou o Torneio Rio-São Paulo. No ano seguinte, Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa era o mandatário à época do título do Supercampeonato Paulista. Dos 21 Paulistas que o São Paulo tem na conta, em quatro deles (1948, 1949, 1953, 1957), Cícero Pompeu de Toledo era o presidente e foi quem mais venceu esse torneio no clube.

Com dois títulos estaduais cada estão: Décio Pacheco Pedroso (1943 e 1945), Henri Couri Aidar (1971 e 1975), Antônio Leme Nunes Galvão (1980, 1981), Carlos Miguel Aidar (1985, 1987), José Eduardo Mesquita Pimenta (1991, 1992), ainda conquistaram o Paulista: Edgard Egydio de Souza Aranha (1931), Roberto Gomes Pedroza (1946), Laudo Natel (1970), Juvenal (1989), José Augusto Bastos Neto (1998), Paulo Amaral Vasconcellos (2000) e Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa (2005).

Títulos Internacionais

Neste quesito, não há presidente mais vitorioso na história do São Paulo do que José Eduardo Mesquita Pimenta. Em dois mandatos, entre abril de 1990 e abril de 1994, Mesquita conquistou nada menos do que sete títulos internacionais. Entre eles estão os bicampeonatos da Copa Libertadores (1992 e 1993), do Mundial Interclubes (1992 e 1993) e da Recopa Sul-Americana (1993 e 1994) e ainda a Supercopa Sul-Americana de 1993.

LEIA MAIS:  Aos 100 anos, João Havelange continua internado sem previsão de alta

Com dois títulos de menor expressão, a Copa Conmebol de 1994 e Copa Master da Conmebol de 1996, Fernando Pinto Casal de Rey foi outro mandatário que esteve à frente do São Paulo em conquistas internacionais. Em 2005, Marcelo Figueiredo Portugal Gouvêa, era o presidente nas conquistas da Copa Libertadores e do Mundial daquele ano. O último título internacional do Tricolor foi o da Copa Sul-Americana, conquistado em 2012 e com Juvenal no comando.

E para você, pelo carisma, irreverência e números,  Juvenal Juvêncio  foi o presidente mais vitorioso da história do São Paulo?

* A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) unificou os títulos nacionais em 2010, ou seja, passaram a valer como “brasileiros”, além do campeonato homônimo, a Taça Brasil e o Torneio Roberto Gomes Pedrosa.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.