Tamanho do texto

Porto não quer receber menos de R$ 30 milhões, enquanto o São Paulo se mostra disposto a pagar cerca de R$ 19 milhões

Estadão Conteúdo

Maicon, zagueiro do São Paulo
Divulgação
Maicon, zagueiro do São Paulo

O São Paulo adiou para esta terça-feira a definição sobre a situação do zagueiro Maicon. O dia será de reuniões na cidade do Porto, em Portugal, para tentar convencer o clube local a aceitar liberar o defensor em definitivo, com a venda dos direitos econômicos, ou com a renovação de empréstimo por um período suficiente para que o jogador atue na fase decisiva da Copa Libertadores.

Maicon tem contrato até apenas a próxima quinta-feira com o clube paulista. O Porto não quer receber menos de R$ 30 milhões (8 milhões de euros), enquanto o São Paulo se mostra disposto a pagar cerca de R$ 19 milhões (5 milhões de euros). O clube do Morumbi tenta reduzir ao máximo o valor necessário para que possa concretizar a contratação.

O diretor-executivo de futebol do São Paulo, Gustavo Oliveira, viajou para Portugal na sexta-feira para cuidar do contato com os portugueses. Maicon ficou no Brasil sob o aviso de uma possível ida à Europa caso fosse necessário. O defensor por enquanto está nos planos do técnico Edgardo Bauza para quarta-feira, quando a equipe recebe o Fluminense, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro.

Apesar da vontade em ficar no São Paulo, Maicon não participa da negociação diretamente. O defensor de 27 anos também desperta o interesse de clubes como Inter de Milão e Fenerbahçe. Há a possibilidade de o time paulista tentar incluir como troca na negociação a ida ao Porto de atletas jovens da equipe.