Tamanho do texto

Equipe da "TV Bandeirantes" estava em frente uma estação de trem da capital francesa quando encontrou alguns torcedores

A violência dos hooligans durante a Eurocopa, na França, atingiu o Brasil nesta quinta-feira. Uma equipe de reportagem da "TV Bandeirantes" foi hostilizada e agredida verbal e fisicamente por torcedores da Alemanha em Paris. Entre ofensas racistas, o cinegrafista Fernando Henrique de Oliveira, 33 anos, foi agredido com um tapa no rosto, enquanto a repórter Sonia Blota, 45, recebeu um chute. Desde o início do torneio, há sete dias, 323 hooligans de várias nacionalidades já foram detidos e 196 foram mantidos em prisões em razão de distúrbios violentos.

Sonia Blota é correspondente da
Arquivo pessoal
Sonia Blota é correspondente da "Tv Bandeirantes" na Europa e está atuando como repórter durante o torneio

O incidente envolvendo a equipe de jornalistas brasileiros aconteceu às 16h30, em frente à estação de trens Gare du Nord, no centro da capital. Lá passam os trens que levam ao Stade de France, e por essa razão havia um grande movimento de torcedores alemães e poloneses, além de franceses que acompanhariam o jogo Alemanha x Polônia, em Saint-Denis. A equipe tinha a intenção de conversar com torcedores dos dois países para falar da expectativa do jogo, mas foi abordada por um grupo de torcedores alemães.

Leia +  Defesas brilham e Alemanha fica no empate com a Polônia na Eurocopa

"Um cara acompanhado de um grupo de cerca de uns 50 torcedores veio e gritou: 'Get out, niggars!'", contou o cinegrafista, que é negro. O torcedor tinha um bastão, com o qual empurrou Oliveira, antes de chutar Sonia. "Pedi para que não batessem nela e, quando nós estávamos saindo, ouvi de novo o 'Get out niggars!' e levei um tapa na cara", diz Oliveira. "A dor não é física, é moral e psicológica. Parece que o resto da vida vamos ter de nos desculpar por sermos negros e minoria."

Os jornalistas brasileiros, que têm imagens dos agressores, prestaram queixa à polícia, que em um primeiro momento se recusou a intervir no caso.

Outras polêmicas

Iniciada na última sexta-feira, a Eurocopa tem sido um sucesso de público, com estádios lotados, mas grupos minoritários de torcedores, em especial ingleses e russos, têm preocupado as autoridades. Segundo dados divulgados nesta quinta pelo Ministério do Interior, 24 pessoas foram conduzidas à fronteira e expulsas do país por participarem de distúrbios.

Leia +  Russo preso durante Euro é membro do Comitê da Copa de 2018

Nesta quinta, o Tribunal de Marselha condenou mais três torcedores russos pelos choques violentos de sábado passado, horas antes do jogo Inglaterra x Rússia na cidade. Alexei Erunov e Nicolai Morozov, ambos de 29 anos, e Sergei Gorbatchev, de 33, foram condenados a penas de oito meses a dois anos de prisão em regime fechado, mas a pena deve ser convertida em expulsão e proibição de retorno ao território francês pelos próximos dois anos. Segundo o procurador de Marselha, Brice Robin, as autoridades enviaram um recado aos hooligans. "É uma mensagem forte aos baderneiros que confundem violência e esporte", afirmou.

As prisões e expulsões de torcedores russos gerou um atrito político e diplomático entre França e Rússia na quarta-feira. O embaixador francês em Moscou foi convocado para dar esclarecimentos sobre o tema.