Tamanho do texto

Em outra polêmica, o mandatário decidiu abolir parte das independências dos comitês de investigação da entidade, o que resultou na renúncia de Domenico Scala, o auditor da Fifa

O jornal alemão Welt Am Sonntag revela que o novo presidente da Fifa, o suíço Gianni Infantino, pode ser suspenso diante de investigações sobre sua ordem de mandar os funcionários apagarem e-mails. Se indícios forem encontrados, ele poderia ser afastado por 90 dias, enquanto seu julgamento ocorre. O suíço, que assumiu a Fifa no final de fevereiro com uma bandeira de reformar a entidade, já vem acumulando polêmicas.

Infantino foi eleito em fevereiro e já está em
SAKCHAI LALIT/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Infantino foi eleito em fevereiro e já está em "maus lençóis"

A notícia não foi confirmada pela Fifa, que, até o momento, não se pronunciou. Infantino teria pedido que seus funcionários apagassem todos os e-mails na preparação do Congresso da Fifa, em maio, no México. Numa das cartas, do dia 23 de maio, o chefe do departamento jurídico, Marco Villiger, teria recebido a ordem e os e-mails teriam sido destruídos.

Leia

"Nunca pensei que meu pai poderia me enganar", diz Messi em depoimento

Calleri avisa que fica no São Paulo até o fim da Libertadores

Essa não é a primeira polêmica envolvendo Infantino. Em maio, ele decidiu abolir parte das independências dos comitês de investigação da entidade, o que resultou na renúncia de Domenico Scala, o auditor da Fifa, que advogava por uma ampla reforma.

À reportagem do jornal O Estado de S.Paulo, uma fonte de alto escalão em Zurique confirmou que Scala havia oferecido um pagamento de US$ 2 milhões por ano para Infantino como salário. O novo presidente da Fifa teria se sentido "ofendido" pelo valor relativamente mais baixo que o de Joseph Blatter e manobrou o fim da independência das investigações.

Segundo o jornal alemão, a gestão de Infantino tem sido alvo de críticas. Uma delas tem sido o uso do jato privado da Fifa para locais como Moscou e Catar, com fácil conexão em voos de linha a partir de Zurique.

Infantino ainda tem sido atacado pela escolha de Fatma Samoura como secretária-geral da entidade, sem passar pelas verificações do grupo de auditoria. Ele também não teria consultado os demais órgãos da Fifa.

O suíço ainda enfrenta um pedido de explicações pelo gasto de US$ 1 mil para a compra de terno e o recebimento de presentes da Adidas. Scala, ao deixar seu cargo, apresentou uma série de irregularidades ao Comitê de Ética da entidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas