Tamanho do texto

Se esses testes derem resultados, a entidade indica que irá usar a tecnologia no Mundial de Clubes no Japão neste ano

Uso da tecnologia deve acabar com erros polêmicos
Agif
Uso da tecnologia deve acabar com erros polêmicos


Competições no Brasil estarão entre as primeiras a testar o uso de vídeo para ajudar a arbitragem no futebol. O anúncio foi feito nesta quinta-feira pela Fifa, que indica que, além dos torneios da CBF, o sistema será testado pela Austrália, Alemanha Portugal, Holanda e EUA.

Num comunicado emitido na manhã desta quinta, a Fifa não explica quais competições nacionais usarão o vídeo. Mas indica que serão "várias sob o comando da CBF ". Na Austrália, será a A-League (primeira divisão nacional), além do Campeonato Alemão, a Copa de Portugal, a Supercopa de Portugal e a Major League Soccer (MLS) nos EUA.

Se esses testes derem resultados, a Fifa indica que irá usar a tecnologia no Mundial de Clubes no Japão neste ano, também na condição de testes e sem efeitos nos resultados. Em 2017, todas as federações poderão começar a usar o vídeo como um teste.

Os experimentos são usados como forma de familiarizar técnicos e operadores com o sistema e não necessariamente os jogos serão interrompidos pela tecnologia. Tudo será feito como se o vídeo contasse. Mas a comunicação ao árbitro sobre uma jogada não será realizado, deixando o jogo correr. "Isso significa que não haverá impacto sobre o jogo", indicou a Fifa.

Os testes reais com todas as implicações apenas vão começar quando todos tiverem tempo para se preparar de forma adequada e a Fifa não espera que isso ocorra até 2017. A entidade não exclui a possibilidade de escolher um amistoso ou mesmo uma competição, como o Mundial de Clubes, para realizar testes "offline" ou mesmo reais.

"Essa é a melhor forma de responder se o uso do vídeo para ajudar os árbitros vai funcionar e melhorar o jogo", declarou o secretário da International Board (Ifab), Lukas Brud. A entidade zela pelas regras do futebol e foi criada antes mesmo da Fifa.

"Os organizadores dessas competições podem agora começar a instalar e testar os equipamentos, assim como treinar árbitros e funcionários técnicos", indicou. Caso a Ifab de um sinal verde, cada federação nacional poderá decidir quando começar a usar a tecnologia de forma oficial.

Apesar do sinal verde para Brasil e outros países, os técnicos estimam que uma decisão final não deverá ser tomada antes de 2018 e 2019.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.