Tamanho do texto

Ex-jogador participou de lançamento de filme sobre sua vida e lembrou do Maracanazo, quando Brasil sofreu a fatídica derrota para o Uruguai, na final da Copa do Mundo de 1950

O primeiro tempo acabou com a Alemanha vencendo o Brasil por 5 a 0; placar final seria ainda pior
Arquivo iG
O primeiro tempo acabou com a Alemanha vencendo o Brasil por 5 a 0; placar final seria ainda pior

O ex-jogador Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, revelou nesta quarta-feira (25) que "quase chorou" ao ver a seleção brasileira ser derrotada por 7 a 1 pela Alemanha na Copa do Mundo de 2014.

"Eu tinha 9 anos quando vi meu pai chorar. Era após o Maracanazo, a derrota do Brasil contra o Uruguai na final da Copa do Mundo. Há dois anos, quando fomos humilhados pela Alemanha por 7 a 1, meu filho me viu quase chorar. Para o Brasil, foi um desastre sem explicação", contou o ex-craque no lançamento de seu filme na Itália, em evento organizado pelo jornal "Gazzetta dello Sport".

Leia

Sem Ricardo Oliveira, Dunga indica que deve apostar em Jonas na seleção

Mesmo pressionado, Dunga mostra versão "paz e amor" na seleção brasileira

Pelé se esquivou de perguntas específicas sobre o futebol atual e se limitou a dizer suas preferências no que vê no esporte atualmente. "Messi é o meu jogador favorito, mas também Cristiano Ronaldo e Neymar são bons. Eles têm um estilo diferente em um futebol que mudou. Hoje, joga-se muito mais fechado, com foco na defesa. É mais difícil encontrar a qualidade dos 'fora de série'", ressaltou.

Pelé em sua despedida da seleção brasileira, em jogo que o Brasil venceu a Áustria por 1 x 0, no Morumbi, em 1971
DOMICIO PINHEIRO/ Estadão Conteúdo
Pelé em sua despedida da seleção brasileira, em jogo que o Brasil venceu a Áustria por 1 x 0, no Morumbi, em 1971

O "Rei do Futebol" também foi questionado sobre a história contada no filme, que será lançado amanhã (24) no país da bota, e disse ter "se emocionado" quando viu as imagens pela primeira vez porque essa é "a minha vida".

"O momento mais importante da minha carreira foi a vitória no Mundial do México, em 1970. Era um homem, não mais um jovem e sabia que aquela era minha última oportunidade. Mas, eu marquei 1.281 gols e apenas um me fez tremer as pernas: o pênalti no Maracanã, o meu milésimo gol e o mais emocionante", disse ainda aos jornalistas.

O ex-craque continua na Itália para divulgar o filme "Pelé - o Nascimento de uma Lenda" e participará da sessão especial organizada nesta quinta em Milão. Dirigido pelos irmãos Michael e Jeff Zimbalist, o longa narra a trajetória de Pelé desde a infância até seus 17 anos, quando levantou o Mundial de 1958, com direito a golaço na decisão contra a Suécia.