Tamanho do texto

Mesmo deixando o hospital, treinador não terá condições de comandar o time diante do Fortaleza, em Volta Redonda

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, exibiu otimismo ao falar sobre o estado de saúde de Muricy Ramalho, que foi internado em um hospital na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio , após se sentir mal no início da tarde da última terça-feira. O técnico do time rubro-negro sofreu com um quadro de fibrilação arterial, uma espécie de arritmia cardíaca.

Muricy Ramalho sofreu arritmia e foi internado
Divulgação
Muricy Ramalho sofreu arritmia e foi internado


Em entrevista ao canal SporTV desta quarta-feira, na portal do hospital onde o comandante se internou, o dirigente afirmou que esteve com o treinador nesta manhã e ressaltou: "Ele está muito bem e tudo indica que vai ter alta ainda hoje".

Em seguida, o presidente rubro-negro até brincou ao lembrar que Muricy acompanhou pela TV, na noite da última terça, o emocionante jogo entre Flamengo e Mogi das Cruzes, no Rio, onde a equipe carioca venceu por 79 a 75 e avançou à final do Novo Basquete Brasil (NBB).

E MAIS

Muricy sofre arritmia, é internado em hospital do Rio, mas passa bem

"Conversamos sobre tudo, ele comentou que assistiu ao jogo do Flamengo ontem. E quem assiste a aquele jogo e sobrevive é porque está bem do coração", afirmou Bandeira de Mello, sorrindo para em seguida confirmar que, de fato, Muricy não reunirá condições de dirigir a equipe no jogo contra o Fortaleza, nesta quarta-feira, às 21h45, em Volta Redonda (RJ), pela Copa do Brasil.

"O importante agora é que ele recupere. Os auxiliares (Tata e Jayme de Almeida) vão comandar a equipe", disse o dirigente, para depois prever que em breve o treinador poderá voltar a comandar o time flamenguista normalmente.

Ele falou sobre o assunto ao minimizar o histórico de problemas médicos de Muricy nos últimos anos - em 2014, enquanto técnico do São Paulo, ficou quatro dias internado por causa de um problema cardíaco. Já no ano passado, ficou afastado por quase toda a temporada após voltar a sofrer com um quadro de diverticulite, que é uma inflamação no intestino grosso, que já havia sido motivo de internação em 2013, quando dirigia o Santos. "Não acredito que vai ter problema (para voltar a comandar a equipe). O que ele teve no ano passado não teve nada a ver com esse problema", enfatizou.

Sem poder contar com Muricy no comando nesta noite de quarta, o Flamengo precisa reverter uma vantagem de 2 a 1 conquistada pelo Fortaleza no duelo de ida da segunda fase da Copa do Brasil, há duas semanas, no Ceará. Por causa do gol marcado fora de casa, o time carioca poderá avançar com uma vitória por 1 a 0.