Tamanho do texto

Análise da diretoria e da comissão técnica é de que o elenco atual é bem diferente daquele que venceu o Brasileirão de 2015 e carece de jogadores mais experientes

Lucca é um dos principais jogadores do Corinthians
Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians
Lucca é um dos principais jogadores do Corinthians

Duas eliminações em sequência colocaram em xeque o Corinthians  do técnico Tite. As quedas para o Audax, na semifinal do Campeonato Paulista , e para o Nacional, do Uruguai, nas oitavas de final da Copa Libertadores , mostraram que a equipe poderá ter problemas no Campeonato Brasileiro , caso não sejam contratados reforços. A análise da diretoria e da comissão técnica é de que o elenco atual é bem diferente daquele que venceu o Brasileirão de 2015 e carece de jogadores mais experientes - ou "cascudos", com diz o treinador.

Esta é uma das explicações para os insucessos nos dois mata-matas após o time ter feito ótimas campanhas na primeiras fase do Paulistão (melhor classificação geral) e Libertadores (3.ª melhor campanha). “Fosse uma equipe calejada, poderíamos ter feito os gols com as chances que criamos (contra o Nacional). Chance de Rodriguinho, Lucca, Romero, o pênalti (perdido por André)...”, disse Tite.

Após a conquista do hexa do Brasileirão, o Corinthians perdeu jogadores experientes e que hoje defendem a seleção brasileira, casos do zagueiro Gil e do meia Renato Augusto, e outros como o meia Jadson, o volante Ralf e os atacantes Malcom e Vagner Love.

Os reforços para a temporada ainda não deslancharam, casos do meia Guilherme, reserva, e do atacante André, criticado por perder um pênalti na eliminação para o Nacional quando o jogo já estava 2 a 1 para os uruguaios. O meia Marquinhos Gabriel só fez a sua estreia na última quarta-feira e contusões atrapalharam outros dois jogadores de criação: Marlone e Giovanni Augusto.

Mais experiente do elenco e convocado pelo técnico Dunga para a Copa América Centenário, nos Estados Unidos, em junho, o volante Elias afirmou que o Corinthians ainda é um time construção. “Muitos chegaram esse ano, o Marquinhos (Gabriel) não tem nem um mês. Temos de passar por isso para amadurecer”.

Até a estreia no Brasileirão - no próximo dia 15 contra o Grêmio no estádio Itaquerão, em São Paulo -, a diretoria tenta contratar um centroavante, posição considerada a mais carente do elenco. A busca é por um nome experiente e que assuma a posição de titular da equipe.