Tamanho do texto

Gols foram marcados pelo equatoriano Michael Arroyo e pelo paraguaio Osvaldo Martínez, na disputa no Estádio Azteca

América do México comemora o bi na Liga dos Campeões da Concacaf
Reprodução/Facebook
América do México comemora o bi na Liga dos Campeões da Concacaf

Em um decisão entre dos times mexicanos, o América assegurou a conquista do bicampeonato da Liga dos Campeões da Concacaf ao derrotar o Tigres por 2 a 1, na noite de quarta-feira, com os gols marcados pelo equatoriano Michael Arroyo e pelo paraguaio Osvaldo Martínez, na finalíssima disputada no Estádio Azteca.

Leia

Tite confia no "fator casa" para Corinthians garantir vaga nas quartas

Com time em boa fase, até prefeito de Osasco tira uma 'casquinha' do Audax

Com esse resultado, o América fechou a decisão com o placar global de 4 a 1 e assegurou o direito de ser o representante da Concacaf na próxima edição do Mundial de Clubes, que será disputado em dezembro, no Japão - o torneio já havia definido outro participante, o Auckland City, que venceu a Liga dos Campeões da Oceania.

Na noite de quarta, o Tigres abriu o placar da partida aos 38 minutos do primeiro tempo com o gol marcado pelo francês André-Pierre Gignac. Mas Arroyo, que entrou em campo aos 20 minutos da etapa final, empatou a decisão logo depois, aos 23, com um disparo da intermediária. Depois, aos 41 minutos, Martínez converteu uma cobrança de pênalti e acabou de vez com as esperanças dos visitantes.

O América já havia dado um grande passo para vencer a Liga dos Campeões da Concacaf ao bater o Tigres por 2 a 0, na semana passada, em Monterrey. Agora tentará obter um resultado melhor que o do ano passado no Mundial de Clubes, quando não conseguiu uma vaga nas semifinais ao perder por 2 a 0 para o chinês Guangzhou Evergrande e ficou apenas na quinta colocação.

Esta é a primeira vez que o América fatura o bicampeonato consecutivo da Liga dos Campeões da Concacaf. Esse foi o sétimo título continental do time, que se isolou como o maior vencedor do torneio, com uma conquista a mais do que o Cruz Azul. Além de ter sido campeão em 2015 e 2016, o time também faturou a competição em 1977, 1987, 1990, 1992 e 2006.

A derrota na decisão foi a segunda consecutiva do Tigres em um torneio internacional, pois no ano passado o time caiu na decisão da Copa Libertadores para o argentino River Plate.