Tamanho do texto

Ação, que começou perto das 5h30 da manhã, já encaminhou mais de 20 torcedores à sede da Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP)

Estadão Conteúdo

Corintiano Helder Alves Martins esteve em Oruro e agora foi preso
WERTHER SANTANA/Estadão Conteúdo
Corintiano Helder Alves Martins esteve em Oruro e agora foi preso


A Polícia Civil de São Paulo cumpriu, na manhã desta sexta-feira, 98 mandados judiciais, entre prisões e buscas, nas sedes de torcidas organizadas do Estado de São Paulo na "Operação Cartão Vermelho", contra torcedores envolvidos em brigas relacionadas ao futebol. Entre as agremiações atingidas estão a Gaviões da Fiel e Pavilhão 9, do Corinthians, e a Mancha Alviverde, do Palmeiras.

A ação, que começou perto das 5h30 da manhã, encaminhou mais de 30 torcedores à sede da Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), no Centro. A operação não foi apenas realizada na capital. Alguns mandados foram executados na Baixada Santista, Campinas e Guarulhos.

Barras de ferro, de madeira e rojões usados durante briga entre palmeirenses e corintianos
Helio Torchi/Simapress/Estadão Conteúdo
Barras de ferro, de madeira e rojões usados durante briga entre palmeirenses e corintianos

Cerca de seis viaturas chegaram à sede da Mancha Alviverde, vizinha ao Allianz Parque, no bairro de Perdizes, em São Paulo, também pela manhã.

Entre os corintianos presos está Helder Alves Martins, torcedor envolvido na morte do menino Kevin Espada, na Bolívia, em jogo da Copa Libertadores de 2013 realizado na cidade de Oruro. Martins ainda esteve relacionado a confrontos com palmeirenses em São Miguel Paulista, na Zona Leste em 3 de abril, que resultaram na morte de José Sinval Batista de Carvalho, de 53 anos.

    Leia tudo sobre: futebol